Homem é indiciado por matar a chutes cão de vizinhos em Canoas - Polícia

Versão mobile

 
 

Maus-tratos16/04/2021 | 07h00Atualizada em 16/04/2021 | 07h00

 Homem é indiciado por matar a chutes cão de vizinhos em Canoas

Em depoimento, investigado alegou que temia ser atacado pela cachorra. Animal é considerado manso pelos donos

A Polícia Civil indiciou nesta quinta-feira (15) um morador do bairro Fátima, em Canoas, por ter matado a chutes a cachorra de vizinhos. O crime ocorreu na segunda-feira (12), e o animal morreu um dia depois, quando os donos registraram ocorrência. O homem vai responder por maus-tratos em liberdade, já que não houve flagrante.

A titular da 4ª Delegacia de Polícia da cidade, delegada Tatiana Bastos, diz que o homem de 22 anos, que trabalha com materiais de reciclagem, estaria incomodado com constantes ataques que sofria e, nesta semana, acabou dando chutes no animal para se defender. Os donos, considerados pessoas simples e de baixa renda, não registraram o crime na polícia no dia porque estavam preocupados em tentar salvar o animal. Como a cadela morreu um dia depois, outros vizinhos os ajudaram a procurar a polícia e fazer denúncia.

Os agentes foram à residência e recolheram o animal, encaminhando para a Secretaria Extraordinária dos Direitos dos Animais (Seda) de Canoas. No local, foi confirmada morte por choque hemorrágico devido a um trauma contundente violento.

Leia mais
Técnica de enfermagem é investigada por saque de R$ 1,1 mil em conta de idosa que buscava vacina contra covid-19
Filha presa em flagrante por agredir a mãe em Caxias do Sul paga fiança e será investigada em liberdade

— As lesões foram tão cruéis que causaram ruptura e esmagamento do fígado e do diafragma, além de traumas cardíacos e pulmonares — diz Tatiana.

Com base no laudo obtido na Seda e conforme depoimentos de testemunhas, além dos donos, a polícia indiciou o investigado. A delegada afirma que todas as pessoas ouvidas confirmaram que a Preta, como era chamada a cachorra, era um animal dócil, sem qualquer envolvimento em ataques anteriores ao do suspeito. 

O homem, que não teve o nome divulgado, vai responder criminalmente em liberdade por maus-tratos, cuja pena é de dois a cinco anos de prisão. Conforme a nova lei federal, de 2020, se houvesse o flagrante, o morador do bairro Fátima seria preso.  

Denúncias, inclusive anônimas, de maus-tratos podem ser feitas pelos seguintes contatos:

Telefone - (51) 3425-9063
Site - www.pc.rs.gov.br
WhatsApp - (51) 98459-0259

 

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros