Com uso de drone, bombeiros entram no 15º dia de buscas a menino desaparecido em Imbé - Polícia

Versão mobile

 
 

Litoral Norte13/08/2021 | 07h00Atualizada em 13/08/2021 | 07h00

Com uso de drone, bombeiros entram no 15º dia de buscas a menino desaparecido em Imbé

Operação para localizar Miguel dos Santos Rodrigues, sete anos, se concentra na orla

Com uso de drone, bombeiros entram no 15º dia de buscas a menino desaparecido em Imbé Anselmo Cunha / Agencia RBS/Agencia RBS
Bombeiros tentam encontrar algum vestígio na beira da praia Foto: Anselmo Cunha / Agencia RBS / Agencia RBS

As buscas ao menino Miguel dos Santos Rodrigues, sete anos, chegaram ao 15º dia. Nesta quinta-feira (12), os trabalhos seguem concentrados na orla do litoral gaúcho.

Em Imbé, o soldado Rodrigo Garcia Prates utilizava um drone, que sobrevoava o mar, para tentar encontrar algum vestígio do garoto. A mãe da criança, Yasmin Vaz dos Santos Rodrigues, 26 anos, confessou à polícia ter espancado e dopado o filho e, depois, o arremessado no Rio Tramandaí.

— O equipamento nos ajuda a ampliar o nosso campo de visão — destacou Prates.

Leia mais
Veja, em mapa, onde são realizadas as buscas por menino desaparecido em Imbé
Perícia encontra sangue humano em camiseta de menino

Enquanto conversava com a reportagem de GZH, o soldado visualizava a imagem captada pelo drone na tela do controle remoto.

— Pode ver que o mar está bem escuro. Mas mesmo assim, esse equipamento nos ajuda muito — completou.

Além do equipamento, o militar usava um binóculo e um monóculo para ajudar a ampliar o campo de visão. Pela manhã, o soldado fez o percurso entre Tramandaí e Capão da Canoa e não encontrou vestígios — cada pelotão dos bombeiros fica responsável por uma área.

Yasmin e a companheira, Bruna Nathiele Porto da Rosa, 23 anos, que estão presas, foram indiciadas no último sábado pelos crimes de homicídio duplamente qualificado, ocultação de cadáver e tortura

Contrapontos

O advogado Jean Severo, que integra a equipe de defesa de Yasmin, diz que a cliente se declara inocente. Segundo ele, a jovem afirma ter sido coagida na Delegacia de Polícia para confessar o crime. Ainda conforme Severo, Yasmin só deve falar novamente sobre o caso ao Judiciário. Ela não deve se manifestar à Polícia Civil e nem participar da reprodução simulada dos fatos.

Já a advogada de Bruna, Helena Von Wurmb, que recém assumiu o caso, disse que pretende se manifestar ainda nesta quinta-feira sobre os fatos.

ue recém assumiu o caso, disse que pretende se manifestar ainda nesta quinta-feira sobre os fatos.

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros