Mulher de 20 anos é presa em Porto Alegre com arma furtada de delegado em Capão da Canoa - Polícia

Versão mobile

 
 

Zona Sul10/09/2021 | 11h06Atualizada em 10/09/2021 | 11h06

Mulher de 20 anos é presa em Porto Alegre com arma furtada de delegado em Capão da Canoa

Pistola foi encontrada com a suspeita em um veículo roubado, onde também haviam drogas

Mulher de 20 anos é presa em Porto Alegre com arma furtada de delegado em Capão da Canoa Brigada Militar / Divulgação/Divulgação
Foto: Brigada Militar / Divulgação / Divulgação

Uma mulher de 20 anos foi presa na manhã desta quinta-feira (9) em Porto Alegre pela Brigada Militar com uma pistola Taurus que havia sido furtada do delegado Paulo Grillo em setembro do ano passado em Capão da Canoa, no Litoral Norte.

A ação da BM aconteceu em uma rua do bairro Vila Nova, na zona sul da Capital, quando a mulher trafegava em atitude suspeita dirigindo um Prisma prata. O veículo é roubado e estava com placa clonada. Ao abordar o veículo, os policias encontraram a arma do delegado dentro de uma mochila, onde também havia 942g cocaína, 530g de crack e 95g de maconha, além de munição de vários calibres, celular e balanças digitais.

A mulher foi presa em flagrante e encaminhada para 3ª Delegacia de Polícia de Pronto-Atendimento (DPPA) de Porto Alegre, onde os agentes identificaram que a arma era do delegado por meio da consulta da numeração do armamento no sistema da Polícia Civil. A pistola é uma arma de propriedade particular do delegado registrada na Polícia Federal – portanto, não se tratava da arma de uso funcional.

— A arma está em bom estado, funcionando e não está com numeração suprimida. Foi encaminhada para perícia — afirma a delegada Suélen Breda Panizzon.

A mulher será indiciada por tráfico de drogas majorado – por ter sido presa próxima de uma escola –, posse de apetrechos destinado ao tráfico, porte ilegal de arma de fogo e de munições de uso permitido, receptação de arma de fogo e receptação de veículo, além de adulteração de sinal identificador de veículo. Até o fechamento desta reportagem, ela não havia prestado depoimento. A Polícia Civil também representará por sua prisão preventiva.

Delegado de polícia, Paulo Grillo é também diretor-adjunto do Departamento de Comando e Controle Integrado (DCCI) da Secretaria da Segurança Pública (SSP) e conta que a arma foi furtada pouco tempo após a compra:

— Já tinha perdido as esperanças de achá-la. Soube que está intacta. Foi sorte e competência da BM que está na rua trabalhando.

Antes de voltar para as mãos do delegado, a pistola será enviada para o Instituto-Geral de Perícias (IGP) para o exame de funcionabilidade que seve como prova para caracterizar o delito de porte de arma. A perícia precisa constatar que a arma está funcionando. E também pode coletar eventuais digitais que estejam nela.

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros