Polícia analisa imagens gravadas e informações dadas por um suspeito da morte de jovem em parada de ônibus - Polícia

Versão mobile

 
 

Latrocínio na Zona Sul26/09/2021 | 14h51Atualizada em 26/09/2021 | 14h55

Polícia analisa imagens gravadas e informações dadas por um suspeito da morte de jovem em parada de ônibus

Homem foi levado à delegacia pela Brigada Militar. Após ser ouvido, foi liberado, mas segue sob investigação

Polícia analisa imagens gravadas e informações dadas por um suspeito da morte de jovem em parada de ônibus Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal/Arquivo Pessoal
Cristiane foi morta em parada de ônibus Foto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

A Polícia Civil está focando na análise de imagens captadas por câmeras de segurança e nas informações prestadas por um suspeito para tentar esclarecer a morte da jovem Cristiane da Costa dos Santos, 20 anos, baleada em uma parada de ônibus na Avenida Chuí,  na quinta-feira (23), no bairro Cristal, em Porto Alegre.

O suspeito foi levado pela Brigada Militar à 20ª Delegacia da Polícia Civil na tarde de sexta-feira (24) e interrogado. A delegada Luciana Smith, que conduz a investigação, acredita que ele possa ter ligação com o latrocínio.

Como não havia elementos para embasar um pedido de prisão, ele foi ouvido e liberado, mas segue sob investigação. A delegada prefere não dar detalhes do depoimento dele para não atrapalhar o trabalho. 

Outra lacuna a ser esclarecida é sobre qual carro os criminosos usaram para chegar ao local e fugir. As informações iniciais eram de que a dupla armada teria descido de um Ford Fiesta para fazer o ataque na parada de ônibus, que fica na saída do BarraShoppingSul. Imagens divulgadas pela polícia mostram dois suspeitos atravessando a Avenida Chuí correndo depois de Cristiane ser baleada. Do outro lado da pista, eles teriam embarcado no carro da fuga, cujo modelo ainda é desconhecido.

Horas depois do crime, a Brigada Militar localizou um carro abandonado no bairro Vila Nova. Era um Onix preto, que havia sido roubado na Rua Curupaiti, nas proximidades da Chuí, em horário aproximado ao do ataque na parada de ônibus. Junto ao Onix, havia um Fiesta estacionado. Policiais ficaram monitorando o local até que dois homens tentaram entrar no Onix. Houve confronto, um foi preso e outro, fugiu.

O Onix foi apreendido e o suspeito, que estava armado, foi levado para a 20ª DP. Conforme a delegada, não há elementos que indiquem a participação deste carro e do suspeito no latrocínio. Mas o homem foi identificado pelo dono do veículo como um dos autores do roubo do Onix. O Fiesta que estava parado junto ao Onix também não teria ligação com o caso. Foi apurado que no horário do roubo na parada de ônibus da Chuí o veículo já estava estacionado na Vila Nova.

Também na sexta-feira, outro homem, apontado por moradores da região da região próxima à delegacia como possível suspeito, foi espancado por populares. Segundo a delegada, ele estava foragido por outro crime, mas também não estaria envolvido no latrocínio. Ele foi preso por outro caso.

— Surgiram todas essas circunstâncias e o que sabemos é que não há ligação entre esses três homens - o suspeito de roubar o Onix, o que foi espancado e o que foi interrogado e liberado. Precisamos avançar na identificação dos outros envolvidos, pelo menos mais dois criminosos: um que também participou diretamente do roubo na parada e o que dirigiu o carro da fuga — explicou a delegada. 

Além da imagem já divulgada pela polícia, que mostra a fuga de dois suspeitos, outras estão sendo analisados por investigadores. O 1º Batalhão de Polícia Militar reforçou o policiamento na região.

Cristiane trabalhava havia seis meses em uma loja do shopping. Todos os dias, pegava ônibus na mesma parada para ir até o bairro Tristeza, onde morava com a mãe e um irmão. A jovem queria juntar dinheiro para voltar a cursar a faculdade de jornalismo. O enterro ocorreu no sábado, no Cemitério Jardim da Paz.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros