Polícia confirma que atirador morto em festa de aniversário com sete baleados foi atingido pelos próprios comparsas - Polícia

Versão mobile

 
 

Canoas07/10/2021 | 07h00Atualizada em 07/10/2021 | 07h00

Polícia confirma que atirador morto em festa de aniversário com sete baleados foi atingido pelos próprios comparsas

Uma criança de sete anos, que levou vários tiros, e mais três pessoas continuam hospitalizadas

Polícia confirma que atirador morto em festa de aniversário com sete baleados foi atingido pelos próprios comparsas Max Correa / RBS TV/RBS TV
Fato ocorreu na Rua Paraná, bairro Niterói, em Canoas. Estado de saúde da criança de sete anos está estável agora Foto: Max Correa / RBS TV / RBS TV

A Polícia Civil está investigando um homicídio e sete tentativas ocorridos no início da madrugada desta quarta-feira (6) durante uma festa de aniversário no bairro Niterói, em Canoas. A pessoa que morreu é um dos quatro atiradores e foi baleada por engano pelos próprios comparsas. Entre as vítimas, há uma criança de sete anos que levou vários tiros. Outras três também seguem hospitalizadas. Ainda há três suspeitos detidos, que seriam traficantes que procuravam no local um integrante de quadrilha rival.  

Os fatos ainda estão sendo apurados pelo delegado Roberto Peternelli e sua equipe da Delegacia de Homicídios no município. Os próximos passos são ouvir as vítimas e testemunhas, além de averiguar imagens de câmeras de segurança e buscar mais informações com os presos sobre as motivações do crime. Peternelli diz que tudo indica que os investigados procuravam uma pessoa que estaria na festa de aniversário e, ao supostamente identificá-la, atiraram nela e nas outras pessoas para que não houvesse testemunhas.

Leia mais
Ataque a tiros em festa de aniversário em Canoas deixa seis feridos, incluindo uma criança
Imagens analisadas pela polícia mostram que vendedor agredido em frente a açougue não conseguiu se defender
MP denuncia suspeito de matar e estuprar jovem indígena em Redentora

A polícia ainda tenta confirmar quem era o alvo, bem como a motivação envolvendo disputas por pontos de venda de entorpecentes. 

Os quatro entraram atirando na residência, na Rua Paraná, e, em determinado momento em meio aos disparos, também balearam o comparsa Luan dos Santos, de 18 anos. Eles fugiram do local em um carro roubado e estavam armados quando foram abordados pela Brigada Militar, no bairro Humaitá, zona norte de Porto Alegre. O trio vai responder por um homicídio e sete tentativas, além de porte ilegal de arma de fogo e receptação de veículo clonado.

Criança sofreu vários disparos

A criança de sete anos, junto com as outras seis pessoas, foi atendida inicialmente no Hospital de Pronto Socorro de Canoas. Devido ao estado grave, ela foi encaminhada para Porto Alegre e, conforme a própria polícia e boletim médico, a última informação é de que o estado é estável. A menina levou vários tiros. Das outras seis vítimas, três seguiam em atendimento hospitalar às 11h desta quarta-feira e três haviam sido liberadas. Os nomes não são divulgados para não expor a criança.

Os presos são, segundo a polícia: David Cassiano da Silva, 27 anos; Edenir Alves dos Santos, 24 anos; e Herick dos Santos Oliveira, 21 anos. Todos com antecedentes criminais. GZH ainda não conseguiu contato com a defesa deles. 

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros