Vendedor ambulante morto após ser agredido em açougue de Alvorada faliu na pandemia e era pai de três filhos - Polícia

Versão mobile

 
 

Crime na Região Metropolitana05/10/2021 | 08h36Atualizada em 05/10/2021 | 08h38

Vendedor ambulante morto após ser agredido em açougue de Alvorada faliu na pandemia e era pai de três filhos

Depois de perder agropecuária, Wagner de Oliveira Lovato, 40 anos, vendia salgados feito pela esposa na mesma avenida em que foi espancado

Vendedor ambulante morto após ser agredido em açougue de Alvorada faliu na pandemia e era pai de três filhos André Ávila / Agencia RBS/Agencia RBS
Wagner de Oliveira Lovato foi agredido na calçada do Shopping das Carnes na noite de sábado (2) Foto: André Ávila / Agencia RBS / Agencia RBS

O vendedor ambulante Wagner de Oliveira Lovato, 40 anos, havia encerrado o sábado (2) de trabalho na Avenida Presidente Getúlio Vargas, em Alvorada, na Região Metropolitana, após conseguir vender todos os salgados. Com uma bolsa térmica e o valor que havia ganho no dia guardado no bolso, entrou no Shopping das Carnes por volta das 20h. Fez um comentário e ao sair foi agredido por dois homens, um deles gerente do estabelecimento. Tombou no primeiro soco. Acabou desfalecendo na rua em que sempre trabalhou e era conhecido.

A Polícia Civil apura o motivo das agressões e como a discussão começou. Dois homens estão presos. Na altura da parada 46, Wagner foi dono de uma agropecuária por seis anos. O empreendimento faliu durante a pandemia, ele chegou a trabalhar em outro estabelecimento do mesmo ramo e foi taxista. Por não ter o próprio carro, largou as corridas e passou a vender salgados e pães feitos pela esposa. Dois primos de Wagner ouvidos por GZH o descrevem como alegre, muito bem humorado, alto astral e trabalhador.

— Ele era conhecido por essas características. Fazia brincadeiras, mas era alguém que cumpria com suas responsabilidades, estava sempre junto da família. Não é alguém que chegaria e puxaria uma briga. Estamos desolados, é difícil de acreditar no que aconteceu. Passamos por uma pandemia sem perder ninguém da família e agora perdemos dessa forma desumana um ente tão querido — diz o assistente de ensino e pesquisa Everton Lovato, 27 anos.

A técnica de enfermagem e socorrista Taimanda Lovato, 22 anos, estava chegando com o pai no Shopping das Carnes no começo da noite de sábado quando viu o Samu socorrendo o primo. Não entendeu o que estava acontecendo, olhou para o chão e identificou que era Wagner:

— Queria entender se ele tinha caído no chão, se havia sido um acidente. As pessoas que estavam lá nos disseram que ele entrou para comprar carne e fez alguma reclamação do valor, algum questionamento. Não sabemos ao certo.

A família acredita que pelo perfil brincalhão de Wagner, ele pode ter feito algum questionamento com o valor da carne e não ter sido bem interpretado. Wagner nasceu em Alvorada e morava em uma rua que faz esquina com a Avenida Presidente Getúlio Vargas, no bairro Bela Vista, a cinco minutos a pé do local em que foi agredido. Vivia com a esposa e dois filhos, um de quatro anos e outro recém nascido, de dois meses. Também tinha uma filha de 21 anos e era avô.

— Ele não conseguiu se defender. No primeiro soco já caiu inconsciente no chão. Só pararam porque testemunhas se debruçaram por cima do meu primo no chão — conta Taimanda.

Depois que Wagner foi levado, populares ajudaram a recolher os potes de salgados vazios.

O vendedor chegou inconsciente ao Hospital de Alvorada. Em estado gravíssimo, foi transferido uma hora depois para o Hospital Cristo Redentor, em Porto Alegre. Taimanda acompanhou o primo na ambulância. Na instituição da Capital, a tomografia detectou pressão intracraniana e sangramentos fortes, o que impossibilitou a realização de cirurgia. Ainda na noite de sábado, o hospital adiantou que, nas horas seguintes, o quadro evoluiria para morte cerebral. A morte de Wagner foi confirmada às 20h deste domingo. No Cristo Redentor, entregaram à prima todo o valor que o vendedor havia conseguido no sábado de trabalho.

**A PEDIDO DE JENIFFER GULARTE**PORTO ALEGRE, RS - 04/10/2021 -  Wagner de Oliveira Lovato, 40 anos, foi agredido no Shopping das Carnes no sábado (2) e faleceu devido as agressões na noite de domingo m(3) em Alvorada. FOTO: Arquivo Pessoal<!-- NICAID(14905492) -->
Wagner de Oliveira Lovato morreu aos 40 anosFoto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

— Todos os demais órgãos estavam estáveis, morreu de morte cerebral pela pancada na cabeça. É uma brutalidade gigantesca. Como outro ser humano pode fazer isso sem motivo nenhum? Porque se é só reclamação de preço, é sem motivo. Quando estávamos saindo do açougue na ambulância, eles já estavam limpando o sangue com balde de água e continuaram trabalhando normalmente. Abriram normalmente no domingo. Todos nós moramos perto, não tem como não passar na frente — desabafa a prima.

A esposa de Wagner, Rubia Masuhin, afirmou em publicação no Facebook que seu marido foi vítima de uma "atrocidade". "Após terminar de vender seus salgados, entrou no estabelecimento para comprar carne e reclamou dos valores. O segurança em um ato desumano retirou ele a força e em frente ao estabelecimento começou a agressão. Wagner logo caiu desacordado, mas mesmo assim as agressões continuaram por parte do segurança e gerente. Nenhuma família deve sentir o que estamos passando agora", disse no post.

O Shopping das Carnes abriu na Avenida Presidente Getúlio Vargas, em Alvorada, há três meses. 

ALVORADA,RS, BRASIL - 2021.10.04 - Local onde ambulante morreu após sofrer agressões em frente a açougue em Alvorada. (Foto: ANDRÉ ÁVILA/ Agência RBS)<!-- NICAID(14906157) -->
Shopping das Carnes com nota na fachada do estabelecimento em AlvoradaFoto: André Ávila / Agencia RBS

O corpo de Wagner será velado no Cemitério São Jerônimo, na Capela 2, em Alvorada, a partir das 20h desta segunda-feira (4). O sepultamento está marcado para 9h desta terça (5).

Contraponto do Shopping das Carnes

"Nós, do Shopping das Carnes, lamentamos profundamente a morte de Wagner de Oliveira Lovato, confirmada ontem, dia 3 de outubro. Estamos adotando todas as medidas possíveis para auxiliar as autoridades na apuração das responsabilidades neste ato criminoso em frente ao estabelecimento em Alvorada. O funcionário envolvido neste episódio inaceitável, que não estava em atividade de trabalho no momento do crime, foi afastado pela empresa e está sob custódia da polícia.

Desde o ocorrido, estamos buscando contato com a família da vítima para dar o suporte necessário. Compreendemos o momento de dor e de reserva e respeitamos o tempo dos familiares. Estamos à disposição para que esse diálogo aconteça. Em respeito a Wagner de Oliveira Lovato e a sua família, a loja estará fechada nesta segunda-feira (04/10).

O Shopping das Carnes abriu as portas há apenas três meses e emprega 32 funcionários instruídos a atender com respeito e atenção ao cliente. Estamos profundamente consternados com este episódio inexplicável. Não toleramos, nem admitimos, nenhum tipo de violência." 

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros