Mais de 200 garrafas de bebidas falsificadas são apreendidas em Cachoeirinha: "Ficava idêntica à original" - Polícia

Versão mobile

 
 

Região Metropolitana23/11/2021 | 08h31Atualizada em 23/11/2021 | 08h32

Mais de 200 garrafas de bebidas falsificadas são apreendidas em Cachoeirinha: "Ficava idêntica à original"

Absolut, Amarula e Jack Daniel's eram alguma das marcas adulteradas

Mais de 200 garrafas de bebidas falsificadas são apreendidas em Cachoeirinha: "Ficava idêntica à original" Divulgação / Polícia Civil/Polícia Civil
Apreensão ocorreu em apartamento no bairro Colinas Foto: Divulgação / Polícia Civil / Polícia Civil
GZH
GZH

Mais de 200 garrafas com bebidas adulteradas foram apreendidas em um apartamento no bairro Colinas, em Cachoeirinha, na Região Metropolitana, na manhã desta segunda-feira (22). Segundo a delegada Luana Tomiozzo, os produtos falsificados tinham aparência idêntica a marcas como Jack Daniel's, Absolut e Amarula. O responsável do esquema criminoso não estava no local na hora da ação.

No apartamento, também foram encontrados essências (que eram misturadas nas bebidas), máquina de cartão, espingarda de pressão, papéis com os valores das bebidas e cerca de 300 cartões de visitas, que eram distribuídos para os clientes. Segundo as anotações, três garrafas Absolut, por exemplo, eram vendidas a R$ 120.

— Recebemos a denúncia ontem (domingo) a noite e fomos até o apartamento nesta manhã. Acreditamos que ele comprava as garrafas vazias, adulterava a bebida a partir de uma marca mais simples e depois, com uma máquina de lacrar, finalizava o trabalho. Encontramos algumas garrafas prontas para a venda. A embalagem e a bebida ficam idênticas às originais — declarou a delegada.

Polícia encontrou papéis com anotações de valores e venda dos produtosFoto: Divulgação / Polícia Civil

A polícia encontrou outros produtos que seriam utilizados dentro da bebida. Os líquidos foram encaminhados para a perícia. O objetivo é saber, exatamente, como a adulteração era feita e o que era colocado nas bebidas.

— Uma das nossas maiores preocupações é pensar no prejuízo para a saúde das pessoas que ingeriram essa bebida. A investigação prossegue também para descobrir se os envolvidos fazem parte de uma organização criminosa e quem são — disse a delegada da 2ª DP, Luana Tomiozzo.

Produção: Henrique Abrahão


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros