Morte de adolescente de 15 anos em Restinga Seca tem relação com tráfico de drogas, diz delegada - Polícia

Versão mobile

 
 

Investigação04/12/2021 | 07h00Atualizada em 04/12/2021 | 07h00

Morte de adolescente de 15 anos em Restinga Seca tem relação com tráfico de drogas, diz delegada

Gabriela Ferreira Glasenapp ficou 18 dias desaparecida e foi encontrada morta na quinta-feira

Morte de adolescente de 15 anos em Restinga Seca tem relação com tráfico de drogas, diz delegada Polícia Civil / Reprodução/Reprodução
Corpo de Gabriela foi encontrado na quinta-feira Foto: Polícia Civil / Reprodução / Reprodução

A delegada titular de Restinga Seca, na Região Central, Elizabete Shimomura, manteve cautela e sigilo em quase todas as diligências sobre o caso envolvendo a adolescente Gabriela Ferreira Glasenapp, 15 anos, que ficou 18 dias desaparecida e foi encontrada morta na quinta-feira (2). Contudo, em entrevista coletiva nesta sexta (3), a delegada afirmou que há convicção de que o assassinato tem relação com o tráfico de drogas.

— Desde o início a gente percebeu que essa ocorrência, inicialmente de desaparecimento, tinha como pano de fundo o tráfico de entorpecentes — disse Elizabete.

No entanto, a polícia ainda investiga o motivo específico que levou à morte da adolescente. Um suposto envolvimento da vítima com uma facção da Região Metropolitana não está descartado.

Leia mais
Encontrado corpo de adolescente de 15 anos que estava desaparecida na Região Central
Justiça começa a julgar pedidos para anular e reduzir pena de réus do caso Bernardo
Tribunal de Justiça suspende decisão que reduz a pena dos detentos do Presídio Central de Porto Alegre

Gabriela fez o último contato com a família no dia 14 de novembro. Naquele domingo, por volta das 17h, uma ligação do celular dela foi feita para a mãe, Juvercina Glasenapp, 41 anos. Na linha, um homem e ao menos duas mulheres afirmaram que Gabriela — que também estava na ligação, segundo a mãe — tinha uma dívida que precisava ser quitada.

A mãe da adolescente afirma que fez um pagamento via Pix de R$ 450 pela suposta dívida cobrada pelo trio. Depois disso, no entanto, não conseguiu mais contato com a filha.

O corpo de Gabriela foi encontrado em uma região de mata na Vila Pelizaro, ainda no perímetro urbano de Restinga Seca, enterrado a uma profundidade de aproximadamente 30 centímetros. Na quinta, o delegado regional da Polícia Civil Sandro Meinerz afirmou que só foi possível chegar à área após análise de centenas de câmeras de segurança da cidade.

A delegacia de Restinga Seca contou com o reforço de três policiais de delegacias de Santa Maria para ajudar na investigação. Foi um desses agentes, que ficou dedicado à análise de imagens, que encontrou uma câmera que registrou a adolescente sendo levada a pé ao local.

Presos na investigação

Em diligências na mesma semana do desaparecimento, policiais cumpriram mandado de busca e apreensão em uma casa no bairro São Luiz, em Restinga Seca, onde a jovem poderia ter estado antes de desaparecer, conforme a investigação. Na residência, nenhum vestígio foi encontrado, mas foram localizadas porções de cocaína e crack.

Quatro pessoas foram presas na ocasião: um homem de 35 anos que tem antecedentes por homicídio e roubo e estava foragido, e outro homem e duas mulheres, detidos em flagrante por tráfico de drogas. As quatros pessoas negam envolvimento no desaparecimento da jovem. Em um primeiro momento, a Polícia Civil afirma que não são as mesmas pessoas que aparecem no vídeo levando a adolescente para o local onde o corpo foi encontrado.

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros