Homem que matou cão a pauladas em Rio Grande diz que estava se defendendo - Polícia

Versão mobile

 
 

Violência contra os animais21/01/2022 | 08h48Atualizada em 21/01/2022 | 08h49

Homem que matou cão a pauladas em Rio Grande diz que estava se defendendo

"Costela" foi agredido e morto em estacionamento; populares afirmam que animal era dócil

Homem que matou cão a pauladas em Rio Grande diz que estava se defendendo Rafael Ziglia / Arquivo Pessoal/Arquivo Pessoal
Câmeras de segurança flagraram o episódio de violência contra o cachorro Foto: Rafael Ziglia / Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

A Polícia Civil investiga o caso de um homem que matou um cachorro a pauladas em Rio Grande, no sul do Estado. A agressão aconteceu na noite do último sábado (15) e foi flagrada por câmeras de segurança.  

– As imagens mostram um crime que não tem explicação. É um crime bárbaro, covarde – afirma o delegado Maiquel Fonseca, responsável pelas investigações. 

O cachorro, que era conhecido como “Costela”, foi morto em uma garagem coletiva no Centro da cidade. Conforme a Polícia Civil, o autor das agressões costumava estacionar no local, onde ficam dois cachorros da raça buldogue. No sábado, um deles foi agredido pelo homem com um pedaço de madeira. O cãozinho não resistiu e morreu no local.  

Após a repercussão do caso, o homem, que é servidor da prefeitura de Rio Grande, foi afastado do cargo. Segundo o delegado, o investigado já prestou depoimento e afirmou que estava se defendendo de um ataque do animal. Dessa forma, a polícia tenta entender se o cão realmente tinha algum comportamento agressivo. 

De acordo com o dono do estabelecimento, os dois animais eram dóceis e adestrados. Ele afirmou que um dos seus funcionários já havia observado que esse mesmo homem já havia ameaçado os cães com um guarda-chuva em outra oportunidade. Após o episódio, os cachorros ficaram sempre presos em uma área da garagem. 

As últimas testemunhas devem ser realizadas nesta quinta-feira (20), e, a partir disso, a Civil vai reunir os dados para concluir o inquérito até a semana que vem. 

Ainda conforme o delegado, não há uma regra específica para quem matar um animal doméstico, mas somente para morte de animais silvestres. No entanto, o crime de maus-tratos inclui os cachorros domésticos. Com isso, o homem poderia ser enquadrado neste caso, já que o óbito do cão foi causado por espancamento. 

A prefeitura de Rio Grande emitiu uma nota oficial com esclarecimentos sobre o caso: 

A Prefeitura Municipal do Rio Grande através da secretária da Causa Animal, Laura Fagundes, vem de público informar que condena toda e qualquer forma de violência contra animais. 

Desde que o caso chegou ao conhecimento das autoridades policiais, a Prefeitura se colocou à disposição para colaborar com as investigações e prestar apoio aos tutores do Costela.  

“Todos os servidores da Prefeitura repudiam o que aconteceu, nossas equipes que trabalham para a nossa cidade não endossam o que aconteceu com este animal e nenhum servidor do município apoia qualquer tipo de crueldade. A posição da Prefeitura do Rio Grande é ao lado da população e sempre a favor da defesa dos animais”, afirma. 

O servidor envolvido foi afastado de seu local de trabalho. E a Prefeitura aguarda o desenrolar das investigações para tomar as medidas administrativas cabíveis. 


 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros