Polícia identifica cativeiro onde imigrante foi mantido refém e espancado no centro de Porto Alegre; veja o vídeo - Polícia

Versão mobile

 
 

 Sequestro e extorsão22/01/2022 | 07h00Atualizada em 22/01/2022 | 07h00

Polícia identifica cativeiro onde imigrante foi mantido refém e espancado no centro de Porto Alegre; veja o vídeo

Suspeito do crime foi preso nesta quinta em Viamão, mas o Deic segue a investigação para identificar mais envolvidos

GZH
GZH

A Polícia Civil identificou nesta sexta-feira (21) o cativeiro de um imigrante colombiano que foi sequestrado no Centro Histórico de Porto Alegre. O homem, que não teve a identidade divulgada, ficou refém dos criminosos por cinco horas nesta quinta-feira (20) em uma sala da Rua Voluntários da Pátria, e foi liberado no final do dia.

Os criminosos pediram resgate a um primo dele, também colombiano. O valor extorquido, transferido pelo familiar por transferências via Pix para contas apontadas pelos criminosos, não foi informado pela polícia. Durante as negociações, mandaram-lhe pelo celular vídeos da vítima sendo espancada com pedaços de madeira e perfurada com objetos cortantes. 

Leia mais
Empresário de Gravataí é preso no Litoral Norte em operação que mira organização criminosa
Em busca de empréstimo, moradora de Porto Alegre cai em três golpes em uma semana

Por volta das 20h, a polícia efetuou a prisão em flagrante de um homem em Viamão, com parte do valor de resgate. O preso, com passagem na polícia por tráfico de drogas, foi reconhecido pela vítima como um dos autores do crime. 

— Valores (da extorsão) foram transferidos para a conta dele , e a gente tinha a notícia de que parte tinha sido sacado em um terminal bancário do Centro — acrescenta o delegado João Paulo de Abreu, titular da Delegacia de Repressão a Roubos do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic).

A vítima mora legalmente no Brasil há dois meses e trabalhava como autônomo, na venda de cosméticos e produtos de catálogo. Segundo o delegado, ele estava comercializando seus produtos no centro quando foi rendido e arrastado para o segundo andar de uma galeria comercial da Voluntários, em um conjunto de salas desabitadas.

Boletins médicos de atendimento no Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre atestaram que o homem foi torturado pelos criminosos. Ele apresentou ferimentos em cortes em membros inferiores, diversos hematomas pelo corpo e um tímpano perfurado. Após ser liberado do hospital, foi submetido a exame de lesões corporais no Departamento Médico-Legal, do Instituto Geral de Perícias (IGP), em Porto Alegre.

A Polícia Civil segue com a investigação para identificar outros criminosos que participaram do sequestro.

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros