Polícia tenta identificar autor de assassinato de jovem na orla do Guaíba; veja vídeo da briga - Polícia

Versão mobile

 
 

Crime na Capital19/01/2022 | 09h36Atualizada em 19/01/2022 | 11h12

Polícia tenta identificar autor de assassinato de jovem na orla do Guaíba; veja vídeo da briga

Morador de Paraí, na Serra, Felipe Morais da Silva, 33 anos, estava visitando amigos em Porto Alegre. Crime aconteceu na madrugada do último domingo

Polícia tenta identificar autor de assassinato de jovem na orla do Guaíba; veja vídeo da briga Reprodução / ResourceSpace/ResourceSpace
Foto: Reprodução / ResourceSpace / ResourceSpace
Leticia Mendes e Jéssica Rebeca Weber

jessica.weber@zerohora.com.br

A Polícia Civil tenta identificar quem foi o autor do assassinato de um homem ao amanhecer do último domingo (16) na orla do Guaíba, em Porto Alegre. Felipe Morais da Silva, 33 anos, que morava no município de Paraí, na Serra, estava na Capital visitando amigos quando se envolveu em uma briga e foi atingido por três facadas no abdômen. O caso é investigado pela 2ª Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Esse foi o primeiro homicídio registrado no trecho 3 da orla do Guaíba desde a sua entrega, em outubro. A 2ªDHPP obteve imagens de câmeras de segurança que registraram parte da briga. Às 5h31min, Felipe estava com mais dois amigos e as namoradas junto à orla do Guaíba, quando um outro jovem teria esbarrado em uma das garotas. Conforme a delegada Roberta Bertoldo, nesse momento teria se iniciado uma discussão, que terminou em briga.

– Tudo começa em razão disso, de um dos agressores esbarrar numa menina. Durante essa briga, a vítima foi atingida por três facadas – descreve a delegada.

No vídeo, não é possível ver as facadas sendo desferidas na vítima, que era praticante de artes marciais. Aparecem os envolvidos atravessando a Avenida Edvaldo Pereira Paiva em um empurra-empurra até a ciclovia da orla, no entorno da nova pista de skate. Um deles chega a cair no chão. A delegada afirma já ter outras gravações, feitas por frequentadores, que mostram as facadas - esses vídeos não foram divulgados.  As testemunhas não souberam informar à polícia se quem atingiu Silva foi a mesma pessoa que esbarrou em uma das garotas. 

– Não foi uma briga generalizada. Foi entre os amigos da vítima e mais três. Segundo os amigos, a Brigada estaria em frente, mas não teria prestado auxílio – acrescenta a delegada.

A confusão aconteceu em frente ao ônibus da Brigada Militar, estacionado na Orla. Após ser ferido, Felipe teria ido até o ônibus onde estavam dois policiais militares para pedir ajuda. O rapaz chegou a ser socorrido e levado ao Hospital de Pronto Socorro (HPS) da Capital, mas não resistiu aos ferimentos e morreu ainda no domingo. 

A Brigada Militar nega que deixou de prestar socorro à vítima e garante que trabalhou para conter a confusão inicial. O comandante do Comando de Policiamento da Capital (CPC), coronel Fernando Gralha Nunes, afirma que o homicídio ocorreu em um segundo momento. 

— A Brigada fez a intervenção imediata e acabou na hora a briga, não teve lesionados. Depois os indivíduos se encontraram de novo e houve o homicídio. A vítima, esfaqueada, foi até o ônibus e recebeu atendimento. O policial ficou ao lado dele até chegar a Samu, o protocolo é esperar o Samu — garante o oficial.

Segundo o relato das testemunhas à delegada, não teria havido um segundo encontro e as facadas ocorreram durante a briga. 

No vídeo das câmeras de vigilância, chama atenção a quantidade de pessoas que permanecia no trecho novo da orla ao amanhecer. O comandante Nunes conta que são frequentes as brigas na orla do Guaíba durante a madrugada, mesmo com a presença contínua de equipes de segurança. 

— Acontece bastante briga, se entorpecem, perdem a razão com frequência — relata.  

A polícia pede que quem tiver informações que possam ajudar a esclarecer os fatos do crime entre em contato pelo telefone 0800-642-0121.

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros