Morre homem que vivia em situação de rua e foi espancado a chutes e socos em Vacaria - Polícia

Versão mobile

 
 

Homicídio09/03/2022 | 07h00Atualizada em 09/03/2022 | 07h00

Morre homem que vivia em situação de rua e foi espancado a chutes e socos em Vacaria

Ele estava internado em estado gravíssimo desde o dia 20 de fevereiro; segundo a Polícia Civil e Ministério Pùblico, suspeito queria mostrar aos amigos como matar uma pessoa

Morre homem que vivia em situação de rua e foi espancado a chutes e socos em Vacaria Divulgação / Polícia Civil/Polícia Civil
André Girardi de Lima, 48 anos, estava no Hospital Pompéia, em Caxias do Sul, desde o dia 21 de fevereiro Foto: Divulgação / Polícia Civil / Polícia Civil

Morreu na noite dessa segunda-feira (8), em Caxias do Sul, um homem em situação de rua agredido em Vacaria na madrugada do dia 20 e fevereiro. André Girardi de Lima, 48 anos, estava no Hospital Pompéia, em Caxias do Sul, para onde tinha sido transferido em estado gravíssimo no dia 21 de fevereiro. Ele foi agredido na Rua Marechal Floriano, no Centro de Vacaria, com socos, chutes e pisões na cabeça.

Leia mais
VÍDEO: MP consegue a prisão de suspeito que queria mostrar aos amigos como matar uma pessoa, em Vacaria

O suspeito de 31 anos, que não teve a identidade divulgada, foi preso preventivamente na segunda-feira dia 28 e está no Presídio Estadual de Vacaria. Conforme o Ministério Público (MP) Estadual, várias testemunhas relataram que ele agiu com um "propósito exibicionista de mostrar aos amigos como se mata uma pessoa".  

O crime, que já vinha sendo investigado como tentativa de homicídio, ocorreu por volta das 5h20min, mas a Brigada Militar (BM) só foi acionada durante a manhã daquele dia, pelo Hospital Nossa Senhora da Oliveira, onde ele foi inicialmente internado com uma fratura no crânio e hemorragia.

Ele foi agredido na Rua Marechal Floriano, no Centro de Vacaria, com socos, chutes e pisões na cabeçaFoto: Reprodução / Divulgação

Segundo a Polícia Civil, a vítima, também era conhecida como Andrezão Pé Furado. Ele era catador de materiais recicláveis, do bairro São Francisco, mas ficou conhecido por viver circulando pelas ruas da cidade. O caso segue sob investigação da Polícia Civil de Vacaria, agora não mais como tentativa, mas sim como homicídio consumado.

Conforme o delegado Anderson Silveira de Lima, três pessoas — dois homens e uma mulher — estavam junto do suspeito e o envolvimento deles ainda é investigado.

— Eles tentaram impedir a agressão, no início, depois desistiram. A princípio não têm participação, mas o vídeo será reanalisado detalhadamente, quadro por quadro — afirmou o delegado.

A previsão, segundo ele, é de que inquérito policial seja concluído e remetido na próxima semana.


 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros