Inquérito conclui que PM que matou assaltante em hamburgueria de Porto Alegre agiu em legítima defesa - Polícia

Versão mobile

 
 

Zona Sul 12/05/2022 | 07h00Atualizada em 12/05/2022 | 07h00

Inquérito conclui que PM que matou assaltante em hamburgueria de Porto Alegre agiu em legítima defesa

Testemunhas afirmaram que policial anunciou que era da Brigada Militar antes de atirar. Dois suspeitos conseguiram fugir

Inquérito conclui que PM que matou assaltante em hamburgueria de Porto Alegre agiu em legítima defesa Aline Eberhardt / Agência RBS/Agência RBS
Caso aconteceu no dia 7 de abril, no bairro Cristal, em Porto Alegre Foto: Aline Eberhardt / Agência RBS / Agência RBS

A Polícia Civil concluiu que o policial militar que matou um assaltante durante ação dentro da hamburgueria Griô Burger, na zona sul de Porto Alegre, agiu em legítima defesa. O caso aconteceu no dia 7 de abril, no bairro Cristal, quando dois homens entraram no local e anunciaram o roubo. O PM, que jantava com a família, baleou e matou um deles. O outro conseguiu fugir, assim como o comparsa que esperava em carro.

O inquérito foi finalizado na segunda-feira (9) e deve ser remetido à Justiça nesta semana. O conteúdo será enviado ao Ministério Público (MP), que também dará seu parecer, e a decisão sobre arquivamento ou não do caso será definida pelo Poder Judiciário.

— Entendemos que o policial agiu em legítima defesa de terceiros, pois os dois assaltantes ingressaram no estabelecimento, ambos armados, colocando armas na cabeça dos clientes. Após anunciar que era policial, os assaltantes não se renderam e, conforme relato de testemunhas, efetuaram disparos contra o PM, porém arma deles falhou — explica a delegada Luciana Smith, da 20ª Delegacia de Polícia.

Leia mais
Escola infantil de Canoas decide demitir professora suspeita de maus-tratos e diretora da unidade
TJ manda soltar os nove réus acusados de matar adolescente na saída de festa em Charqueadas
Delegada é presa após MP apreender quase R$ 2 milhões no apartamento dela no Rio

O homem morto foi identificado como Bruno Herlon de Lima de Oliveira, 18 anos. Segundo a delegada, as equipes não conseguiram chegar ao nome do segundo homem que participou do assalto. Por isso, não foi possível pedir a prisão dele. Um terceiro suspeito também integrou a ação, conforme a investigação. Ele ficou esperando pela dupla em um carro perto da hamburgueria, para ajudar na fuga. Com a morte de um dos assaltantes, apenas dois escaparam dali no veículo. Imagens de câmeras de segurança flagraram o momento em que os dois saem do local.

— Infelizmente, são imagens de baixa resolução, de câmeras da rua. Então não foi possível identificar esses dois homens nem a placa do carro que usaram. Só conseguimos ver o carro passando em alta velocidade, depois do fato. Dentro do local não tinha câmera — diz Luciana.

A arma usada pelo policial passou por perícia, segundo as equipes. Ele atua em Porto Alegre e não teve o nome divulgado.

Arma de assaltante teria falhado

De acordo com o relato de testemunhas aos investigadores, o policial anunciou que é PM antes de efetuar os disparos contra os homens. Ele atingiu um dos suspeitos, que morreu no local.

— Conforme testemunhas, esse segundo assaltante tentou efetuar disparos contra o policial antes de deixar o local, mas a arma dele teria falhado. Ele ficou na porta durante a ação. Depois, ele fugiu.

Ainda segundo testemunhas ouvidas na investigação, os dois homens teriam entrado no local e rendido um cliente e um motoboy, anunciando o assalto. O policial jantava na hamburgueria acompanhado de familiares. A ação ocorreu no estabelecimento localizado na Rua Coronel Massot, no bairro Cristal, por volta das 22h.

O proprietário do local, o PM e demais testemunhas foram ouvidos pela polícia no inquérito. A reportagem procurou os responsáveis pela hamburgueria nesta terça-feira (10), que preferiram não se manifestar.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros