Polícia tenta entender confronto que resultou na morte de policial militar em Ciríaco - Polícia

Versão mobile

 
 

Norte do RS24/05/2022 | 07h00Atualizada em 24/05/2022 | 07h01

Polícia tenta entender confronto que resultou na morte de policial militar em Ciríaco

Depoimentos de testemunhas que socorreram outro envolvido na briga e de arrendatário da propriedade onde ocorreu o crime serão colhidos durante investigação

 A morte do soldado da Brigada Militar Viniciu Reinaldo Albrecht, 37 anos, dentro de uma propriedade rural na localidade de Cruzaltinha, no interior de Ciríaco, no norte do RS, ainda não está clara para as autoridades. A Polícia Civil investiga o que poderia ter motivado o confronto do PM com outro homem, que também foi baleado.

Nos próximos dias, há a expectativa que prestem depoimento as pessoas que ajudaram a socorrer o homem que atirou em Albrecht. Ele segue internado em um hospital de Passo Fundo.

— Ele não está custodiado, até porque não foi preso em flagrante, e passou por cirurgias. Precisamos ouvi-lo para ter uma noção do que aconteceu e a partir daí avaliar os próximos passos da investigação — afirmou o delegado Diogo Ferreira, responsável pelo caso.

Também deverá ser chamado para depor o homem que havia arrendado as terras e teria combinado com o policial para que ele permanecesse no local durante o final de semana.  Segundo o comandante do 3º Regimento de Polícia Montada (RPMon), que atua na região, tenente-coronel Marco Antônio dos Santos Morais, o arrendamento estava se encerrando, mas como o maquinário seguia no terreno, e o caseiro já havia deixado a propriedade, teria havido o pedido para que o soldado ficasse no local. 

Leia mais
Policial militar é morto a tiros durante briga em propriedade rural de Ciríaco
Suspeito de envolvimento em assalto a posto de combustíveis não é reconhecido pelas vítimas
Rio Grande do Sul registra quatro mortes no trânsito durante a noite de domingo 

Ainda conforme a Brigada Militar, Albrecht foi para a propriedade após terminar o plantão em Tapejara, cidade onde estava lotado e também residia, já no período de folga. O confronto aconteceu na tarde do sábado (21) com um homem que seria o proprietário das terras, que teria parentesco com o arrendatário.

O comandante do 3º RPMon afirma que um inquérito policial militar (IPM) será aberto para também investigar o crime.

Além do policiamento ostensivo, o soldado Albrecht desempenhava um papel importante na conscientização de jovens dentro do Proerd (Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência). Além de Tapejara, ele também era instrutor em outras cidades da região. O policial participava do programa desde 2018.

Recentemente,  havia concluído o curso nacional de formação de mentores do Proerd.

— Tive contato com ele pelo Proerd. Era benquisto e envolvido nas ações da comunidade. Ele era um policial exemplar — afirmou o comandante.

O soldado Viniciu era natural de Jacutinga, também no Norte, e fazia parte da BM desde 2009. Ele trabalhou praticamente durante toda a sua carreira nos municípios de Tapejara e Santa Cecília do Sul. O brigadiano era casado e deixa dois filhos – uma menina, de oito anos, e um menino, de seis.

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros