TJ nega recurso de bispo que se tornou réu por suspeita de abuso sexual - Polícia

Versão mobile

 
 

Norte do RS10/05/2022 | 07h00Atualizada em 10/05/2022 | 07h00

TJ nega recurso de bispo que se tornou réu por suspeita de abuso sexual

A defesa de dom Antônio Carlos Rossi Keller teve rejeitados os embargos de declaração

TJ nega recurso de bispo que se tornou réu por suspeita de abuso sexual Igreja Católica / Divulgação/Divulgação
Antônio Carlos Rossi Keller é bispo da Diocese de Frederico Westphalen Foto: Igreja Católica / Divulgação / Divulgação

O Tribunal de Justiça (TJ) rejeitou o recurso da defesa do bispo Antônio Carlos Rossi Keller que buscava esclarecer pontos da decisão que tornou o religioso réu por abuso sexual.
Dom Antônio, bispo de Frederico Westphalen, no norte do RS, é acusado de abuso contra um ex-cerimoniário que à época era menor de idade.

A decisão que tornou o religioso réu foi dada em fevereiro pela 7ª Câmara Criminal, por unanimidade. Os três desembargadores entenderam que havia na denúncia do Ministério Público (MP) "suficiente descrição dos fatos" e "lastro probatório mínimo" dos supostos crimes. Na ocasião, a defesa de dom Antônio interpôs embargos de declaração visando a clarear a decisão. 

Em sessão virtual realizada em 25 de abril, a 7ª Câmara decidiu, por unanimidade, desacolher os embargos de declaração. A defesa do religioso poderá recorrer junto aos tribunais superiores.

Leia mais
Ao aceitar denúncia contra bispo, TJ entendeu haver "lastro probatório mínimo" de crime sexual
Cremers vai abrir sindicância para apurar conduta de ginecologista acusado de crime sexual no sul do RS
Sítio arqueológico é identificado por pesquisadores em Frederico Westphalen

As apurações do MP sobre possíveis abusos por parte de dom Antônio tiveram como base o relato de um ex-cerimoniário - espécie de ajudante de religiosos em missas e outras tarefas na Igreja - de Frederico Westphalen. Ele contou ter sofrido abusos sexuais. Aos 13 anos, o adolescente foi morar com o bispo. A denúncia do MP descreveu que dom Antônio, "aproveitando-se da condição de bispo da Igreja Católica Apostólica Romana, reiteradamente praticou ato libidinoso" com a vítima.

O bispo foi denunciado em 2020, mas a Justiça de Frederico Westphalen rejeitou a denúncia. O MP recorreu, e a 7ª Câmara Criminal do TJ entendeu que dom Antônio deveria responder pelas acusações. 

A Igreja Católica fez três averiguações das suspeitas e disse não ter encontrado fundamentos que comprovassem as denúncias. O bispo acabou absolvido no processo canônico e segue na direção da diocese sediada em Frederico Westhalen.

O que disse a defesa do bispo Antônio Carlos Rossi Keller

A defesa não foi intimada da decisão e não pode comentar por se tratar de caso que tramita em segredo de Justiça. 

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros