Homem é preso em Porto Alegre e confessa ter matado a esposa e mantido corpo em casa por três dias   - Polícia

Versão mobile

 
 

Feminicídio na Capital 15/06/2022 | 08h44Atualizada em 15/06/2022 | 08h46

Homem é preso em Porto Alegre e confessa ter matado a esposa e mantido corpo em casa por três dias  

Angélica Aparecida Cidade da Silva, 47 anos, enviou uma mensagem em tom de despedida para os quatro filhos na sexta-feira

Homem é preso em Porto Alegre e confessa ter matado a esposa e mantido corpo em casa por três dias   Polícia Civil / Divulgação/Divulgação
Polícia afirma que mulher foi morta na sexta-feira e companheiro manteve o corpo dentro de casa por três dias Foto: Polícia Civil / Divulgação / Divulgação

Um homem de 42 anos foi preso nesta terça-feira (14) por feminicídio, no bairro Santa Tereza, na zona sul de Porto Alegre. O crime foi descoberto porque colegas de trabalho da vítima suspeitaram da ausência dela e acionaram a Polícia Civil. 

O casal se relacionava havia cerca de um ano e meio. Conforme a delegada a Fernanda Campos Hablich, adjunta da 1ª Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher da Capital, a vítima, Angélica Aparecida Cidade da Silva, 47 anos, deixa quatro filhos de um relacionamento anterior.  

A delegada conta que funcionários do restaurante onde a mulher trabalhava procuraram a polícia na manhã desta terça. Eles contaram que ela não foi trabalhar no sábado, domingo e ontem, algo que não seria do seu feitio. 

Por volta das 13h30min, os policiais foram até a residência onde o casal vivia e encontraram o homem, que confessou o crime. O corpo estava sob uma pilha de roupas. 

— Pedi para a equipe que fosse ouvir o companheiro. Ele disse: “Sim, ela está aqui. Está morta”. Ele disse que estava no cômodo dos fundos da casa e levou os policiais até o corpo. Na versão dele, houve uma briga causada por ciúme dela e ele acabou enforcando-a com a echarpe que ela vestia — conta a delegada. 

O homem, que não teve o nome divulgado pela Polícia Civil, afirmou aos agentes que matou a companheira na sexta-feira (10), à noite. Vizinhos relataram para a equipe ter ouvido gritos vindos da casa.  Eles serão chamados a depor nos próximos dias.

O ex-companheiro de Angélica, com quem ela tinha os quatro filhos e responsável pela guarda deles, mora em Sapiranga, no Vale do Sinos. À polícia, ele relatou que a mulher teria enviado uma mensagem com tom de despedida para os filhos na sexta-feira.  

O autor confesso do feminicídio tem antecedentes policiais por posse de entorpecentes, furto e furto qualificado. Ele prestou depoimento ao delegado Maurício Barison na tarde desta terça. 

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros