Detidos em investigação sobre morte de PM na zona sul de Porto Alegre são soltos - Polícia

Versão mobile

 
 

Violência05/07/2016 | 06h38Atualizada em 05/07/2016 | 11h08

Detidos em investigação sobre morte de PM na zona sul de Porto Alegre são soltos

Polícia apontou que os três homens e o adolescente apreendido não tinham envolvimento com o caso. Um homem seguirá preso por ser foragido da Justiça

Detidos em investigação sobre morte de PM na zona sul de Porto Alegre são soltos André Ávila/Agencia RBS
Foto: André Ávila / Agencia RBS

A Brigada Militar prendeu três homens e apreendeu um adolescente na tarde de segunda-feira por suspeita de participação na morte de um policial militar (PM) à paisana durante abordagem na Rua Florinha, bairro Cavalhada, na zona sul de Porto Alegre. O soldado Luiz Carlos Gomes da Silva Filho, 29 anos, foi baleado após abordar os ocupantes de um Gol com placas clonadas. 

Após interrogar os quatro suspeitos, a polícia liberou dois deles. Um segue preso, mas por estar foragido do sistema prisional. Segundo a polícia, ele não teve envolvimento com a morte do policial. O homem está sob custódia da Brigada Militar no Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre por ter sido ferido por um tiro em uma das pernas por envolvimento em uma outra ocorrência.

Leia mais
"Abandonou qualquer técnica policial", diz especialista sobre soldado morto
Comandante-geral da Brigada Militar faz desabafo após morte de soldado

Já o adolescente apreendido está no Departamento Estadual da Criança e do Adolescente (Deca) e deve ser entregue a um familiar responsável nesta terça-feira. Ele também não foi identificado como sendo o autor dos disparos que mataram o soldado da Brigada Militar.

Como foi o crime

O soldado Luiz Carlos Gomes da Silva Filhom 29 anos , integrante do Serviço de Inteligência (PM2) da Brigada Militar, por volta de 15h30min, abordou um Gol branco suspeito de roubo. Ele discutiu e, em determinado momento, atirou na perna de um dos suspeitos que havia saído do veículo. Passados alguns minutos, o homem ferido foi até a porta do carona do Gol, onde pegou uma arma e atirou no policial. Enquanto o carro partia em alta velocidade, Luiz Carlos foi socorrido. Atingido por três tiros, ele já chegou sem vida ao Hospital de Pronto Socorro (HPS). 

Foto: Brigada Militar / Divulgação


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros