Sandrão: conheça a mulher que casou com Suzane von Richthofen e é ex de Elize Matsunaga - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Amor bandido29/10/2014 | 13h25

Sandrão: conheça a mulher que casou com Suzane von Richthofen e é ex de Elize Matsunaga

Sandra Regina Gomes cumpre pena por sequestro e morte de um adolescente de 14 anos

Sandrão: conheça a mulher que casou com Suzane von Richthofen e é ex de Elize Matsunaga Reprodução/Reprodução
Sandrão veste terno e gravata borboleta para ajudar eventos dentro do presídio Foto: Reprodução / Reprodução

Condenada pela morte dos pais ocorrida há 12 anos, Suzane von Richthofen voltou aos holofotes com a divulgação do seu casamento dentro da penitenciária. Mais do que isso, ela teria sido o pivô da separação da esposa com Elize Matsunaga, que cumpre pena por matar e esquartejar o marido em 2012. A disputada pelas duas famosas assassinas é Sandra Regina Gomes, uma detenta temida pelas presidiárias, com histórico de violência fora e dentro do sistema carcerário.

Mais conhecida como Sandrão, segundo a Folha de S. Paulo, ela foi condenada a 27 anos de prisão por sequestro e morte de um adolescente.  Em outubro de 2003, Sandra sequestrou o próprio vizinho, de 14 anos, com ajuda de três homens. O pedido de resgate foi de R$ 40 mil, mas acabou sendo reduzido a R$ 3 mil. Quando o pagamento foi feito pela família do menino, ele já estava morto com um tiro na cabeça, além de amarrado, amordaçado e com um saco plástico na cabeça.

Deborah Secco fala sobre viver Suzane von Richthofen no cinema
Leia as últimas notícias do Diário Gaúcho

Depois de presa, Sandra agrediu um agente penitenciário. Por isso, teve a pena aumentada e foi transferida para Tremembé – a prisão que recebe muitos presos ilustres. Lá, apesar da fama de barra pesada, a Folha apurou que Sandra ajuda em eventos internos. No concurso de beleza das presidiárias, por exemplo, vestida de terno e gravata borboleta, é a responsável por conduzir as candidatas pela passarela. No dia a dia, também se veste como homem.

Trabalhando na fábrica de roupas da prisão é que teria conhecido Suzane – quando ainda estava com Elize. Em setembro, Sandra e Suzana oficializaram a união. O casamento na penitenciária nada mais é que a assinatura de um documento de reconhecimento afetivo. É ele que garante que as presas convivam como um casal na ala destinada a casais de detentas, uma área mais tranquila e maior.

Diferente de Tremembé, presídio Madre Pelletier não tem ala das casadas

Para poder voltar pra lá com Suzane, Sandra precisou esperar seis meses depois de terminar com Elize, devido a uma norma da penitenciária. Ainda conforme a Folha, o local tem outras duas regras: proibição de brigas e de traições.

Segundo reportagem da revista Veja, o romance com Sandra é que fez Suzane desistir de migrar para o regime semiaberto e pedir para a Justiça mantê-la no presídio de Tremembé, em regime fechado.

Condenada a 38 anos e 6 meses de prisão pelo assassinato dos pais, em 2002, Suzane foi beneficiada com a progressão para o semiaberto em agosto. Para continuar na cadeia, ela alegou que não se sentiria segura em outra unidade prisional e que precisa do salário que recebe pelos serviços prestados dentro da penitenciária.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros