Mulher morre após perder 45 quilos em seis meses com dieta radical - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Emagrecimento rápido14/07/2015 | 10h12

Mulher morre após perder 45 quilos em seis meses com dieta radical

Consultora Cíntia Cunha ficou obcecada com o corpo após ouvir que "era gorda e não conseguiria nada na vida dessa forma"

Mulher morre após perder 45 quilos em seis meses com dieta radical Reprodução / Facebook/
Cíntia ingeria apenas 400 calorias por dia Foto: Reprodução / Facebook

Mais que um problema grave de saúde, um emagrecimento rápido e sem acompanhamento médico pode levar à morte. Foi o que aconteceu com a consultora Cíntia Cunha, de 37 anos.

Pesando 115 quilos, a moradora de São Paulo iniciou uma dieta rigorosa em fevereiro, ingerindo apenas 400 calorias por dia - o equivalente a um pão francês e uma banana, por exemplo. Especialistas afirmam que o adulto médio precisa consumir entre 2000 e 2500 calorias diariamente. Após alguns meses internada e com menos 45 quilos, Cíntia acabou morrendo na madrugada do último domingo, depois de entrar em coma e sofrer falência múltipla dos órgãos.

Transformação: jovem perde 80kg e é eleita Miss Marau

A amiga da consultora, Lucilene Peters, afirma que Cíntia ficou obcecada com o corpo após ouvir de um rapaz que ela "era gorda e não conseguiria nada na vida dessa forma".

— Depois desse comentário, ela surtou. Quis emagrecer a qualquer custo. Começou, então, a fazer uma dieta muito severa por conta própria, sem acompanhamento médico, à base de 400 calorias por dia. Ela só tomava suco, não comia mais nada, dizia que era para desintoxicar o organismo. O que aconteceu foi que a imunidade começou a baixar e, como já tinha problemas de saúde decorrentes da obesidade, ficou anêmica — contou a amiga ao Extra.


Foto: Reprodução / Facebook

O diagnóstico da primeira internação de Cíntia, em março deste ano, apontou anemia. A partir daí, os problemas com a saúde foram se agravando, principalmente devido à fraqueza.

— Adquiriu uma infecção, pneumonia e teve problemas no fígado e no coração. Cada hora era uma coisa, passava dois, três dias em casa e já voltava ao hospital. Mesmo assim, ela nunca reclamou de sua condição, estava sempre sorrindo — lembra Lucilene.

"Pílula assassina" usada para emagrecimento faz Interpol emitir alerta em 190 países

No dia 17 de abril, Cíntia postou um vídeo no Facebook explicando a sua condição. Bem-humorada, ela conta sobre a sua recente saída da UTI:

— Um dia, uma pessoa me falou que eu não seria ninguém se fosse gorda. E aí o que aconteceu? Emagreci 45 quilos em menos de seis meses. E o resultado é esse: vivo internada na UTI, doente e com risco de vida. Temos que procurar nos amar como somos. Se alguém quer emagrecer, acho que tem que fazê-lo por causa da saúde, e não motivado pela opinião alheia.

Assista ao vídeo:

Eu no hospital... resultado de meus emagrecimentos!

Posted by Cintia Cintia on Friday, April 17, 2015

Os últimos dias da consultora foram de sofrimento. Ainda de acordo com Lucilene,
os medicamentos já não faziam efeito e as fortes dores eram amenizadas com morfina.

— Ela era uma pessoa muito iluminada, sempre disposta a ajudar os outros. Estava sempre sorrindo, colocava todos para cima. Antes dessa dieta louca, chegou a fazer um acompanhamento nutricional, mas acho que ficou muito abalada com o comentário do rapaz sobre seu peso. O erro dela não foi querer emagrecer, foi fazê-lo da forma errada, muito rapidamente, e todo mundo sabe que não é saudável.

Leia mais notícias sobre emagrecimento
Curta a nossa página no Facebook

* Diário Gaúcho

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros