Estética: o que pode e o que não pode fazer na gravidez - Notícias

Versão mobile

 
 

Sua Saúde25/08/2015 | 16h31

Estética: o que pode e o que não pode fazer na gravidez

Ginecologista mostra que os cuidados com produtos e medicamentos deve ser redobrado

Estética: o que pode e o que não pode fazer na gravidez Freeimages/Divulgação
Foto: Freeimages / Divulgação

Você já deve ter ouvido muito falar que não pode tingir o cabelo durante a gravidez ou outro tipo de tratamento estético. Mas será que isso é verdade?

Leia outras notícias do dia

O ginecologista Renato de Oliveira, responsável pela área de reprodução humana da Criogênesis, diz que o primeiro trimestre da gravidez é o mais delicado de todos. Neste momento, os cuidados com o uso de produtos e medicamentos deve ser redobrado, para que não ocorram problemas com a formação do feto.

Leia outras notícias sobre Sua Saúde

– Neste período, as mudanças estruturais ainda são discretas. Com o acúmulo de líquidos e uma leve distensão abdominal, as gestantes podem iniciar sessões de drenagem linfática, mas não é recomendado drenar esta região. Sessões mensais de limpeza de pele e hidratação da pele também estão liberadas em qualquer período. No entanto, a escolha dos produtos deve ser bem cuidadosa e a preferência deve ser por cosméticos naturais ou orgânicos – recomenda o doutor.

Licença-maternidade: tire suas dúvidas
 
Como deixar a volta ao trabalho mais tranquila depois da licença-maternidade

O especialista destaca que a grávida pode e deve fazer tratamentos para melhorar sua estética, mas sempre com acompanhamento médico.

Para ajudar as futuras mamães, o médico fez uma lista de contraindicações e tratamentos que ajudam a mulher a manter corpo e mente em equilíbrio durante a gestação.

Radiofrequência - Não pode!
Apesar de estimular a produção de colágeno e deixar a pele mais firme, o aparelho pode exercer forte pressão e aumentar o estresse e as dores na gestante.

Tingir os cabelos - Não pode!
Principalmente, nas primeiras 16 semanas de gravidez, não é aconselhável utilizar tinturas para cabelo, pois o couro cabeludo é uma região bastante vascularizada, o que facilita a entrada da química da tintura na corrente sanguínea. Após este período, não há evidências da segurança deste procedimento. Xampu tonalizante após as primeiras 16 semanas é uma opção mais segura.

Drenagem linfática manual - Pode!
O procedimento é ótimo para aliviar as dores nas pernas causadas pela retenção de líquidos na gravidez. Alguns cuidados devem ser tomados, como evitar a drenagem do abdômen e não usar cremes corporais com cafeína.

Depilação - Depende!
A depilação com cera morna ou feita com lâmina pode ser realizada. No entanto, a depilação a laser não é recomendada.

Alisamento capilar - Não pode!
Os alisamentos devem ser evitados, bem como produtos à base de formol, chumbo, amônia, ureia, aromas intensos e componentes alergênicos. Porém, as hidratações podem ser feitas, desde que a composição de cada produto seja verificada.

Manicure e pedicure - Pode!
O grande cuidado a ser tomado é evitar infecções por bactérias, fungos e vírus. Como prevenção, prefira profissionais que utilizem materiais descartáveis e autoclavados (mesmo processo de esterilização realizado nos hospitais). Esses cuidados valem independentemente de estar ou não grávida.

Peelings - Depende!
A maioria dos peelings químicos é contraindicada durante a gestação. Porém, existem alternativas que podem ser avaliadas individualmente com o dermatologista. Alguns peelings mecânicos podem ser avaliados em determinados casos.

Maquiagem definitiva - Não pode!
Há o risco de os pigmentos introduzidos na pele acarretarem reações alérgicas ou anafiláticas. Além disso, o procedimento também é doloroso e provoca estresse, o qual aumenta o risco de trabalho de parto prematuro.

DIÁRIO GAÚCHO

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros