''O direito do meu filho foi lesado'', afirma vereadora do PT que teve consulta de pediatra negada - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Briga política26/03/2016 | 11h14Atualizada em 26/03/2016 | 11h21

''O direito do meu filho foi lesado'', afirma vereadora do PT que teve consulta de pediatra negada

Ariane Leitão diz que denunciará a profissional ao Conselho Regional de Medicina 

''O direito do meu filho foi lesado'', afirma vereadora do PT que teve consulta de pediatra negada Camila Domingues/Palácio Piratini/Divulgação
Foto: Camila Domingues / Palácio Piratini/Divulgação
jeniffer gularte

Uma semana após ter a consulta de rotina do filho negada por uma pediatra, a ex-secretária de Políticas para as Mulheres do Rio Grande do Sul durante a gestão Tarso Genro, Ariane Leitão, 34 anos, afirma que irá denunciar a profissional ao Conselho Regional de Medicina.

Leia mais:
Ex-secretária do RS diz que pediatra negou atendimento a seu filho por ela ser petista
 

Ariane é vereadora suplente do PT em Porto Alegre e militante do partido há 16 anos. Ela afirma que no dia 17 de março, um dia após a divulgação de áudios entre a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula, a médica que cuida do filho de Ariane, de um ano e um mês, mandou uma mensagem por WhatsApp informando que não iria atender a criança devido a sua filiação partidária.

O assunto ganhou repercussão nas redes sociais após Ariane expor o fato em seu Facebook. Ela já registrou em cartório os prints da conversa mas ainda não quer divulgar o nome da profissional. Nesta sexta-feira, ela conversou com o Diário Gaúcho:

Diário Gaúcho - A consulta do teu filho estava marcada para qual dia?

Ariane Leitão - Dia 23, se não me engano, mas já no dia 17 ela desmarcou, um dia depois do vazamento dos áudios. Era uma consulta de revisão que já estava atrasada.

Diário - Qual foi tua reação ao ver a mensagem?

Ariane - Eu fiquei com muita vontade de responder de uma forma grosseira, mas eu não fiz. Eu não ia produzir prova contra mim mesma. Ela me mandou uma mensagem grande. Respondi que estava chocada. Só isso.

Diário - Como avalia essa reação dela?

Ariane - Ela foi muito pelo emocional, não conseguiu separar. O que mais me deixou chateada e me deixou emocionada quando recebi a mensagem, foi que após cuidar meu filho por um ano, ela declinou do atendimento com tanta facilidade. Não é por mim, mas pelo meu filho. Ela não tinha nenhum carinho por ele? Ele gostava tanto dela. Isso me deixou muito chateada.

Diário - Por que decidiu levar o assunto para as redes sociais quase uma semana depois?

Ariane - Muitas pessoas me disseram que eu deveria dizer para todo mundo o que aconteceu, mas eu tinha medo de expor meu filho. Mesmo assim, fui me encorajando, porque nos primeiros dias fiquei muito chateada. Escrevi aquele post de forma despretensiosa. Jamais imaginei que teria essa repercussão. Eu decidi escrever por dois motivos: queria dicas de pediatras e, segundo, porque eu realmente me senti extremamente atingida. O direito do meu filho foi lesado. A criança não pode se defender e falar e eu como mãe tenho essa responsabilidade.


Então gente levei uns dias para compartilhar com vcs o ocorrido, porque envolveu o meu filho, mas agora vamos lá: na...

Publicado por Ariane Leitão em Terça, 22 de março de 2016

Diário - Como avalia a repercussão sobre o que ocorreu?

Ariane - Têm muitos comentários a favor, 98% das pessoas me apoiando, mas teve quem me chamou de golpista. Ela poderia ter inventado qualquer história para não atender. Ela quis ser cruel com meu filho. Mexeu com a pessoa.

Diário - Vocês chegaram a se falar depois dessa mensagem?

Ariane - Não. A gente sempre teve uma relação bem amistosa, sempre foi uma profissional muito competente. Meu filho sempre gostou muito dela. Tiveram alguns momentos nas consultas que eu senti um desconforto dela, nada que chegasse ao ponto de inviabilizar uma convivência. E eu dava uma relevada pelo trabalho que fazia com meu filho.

Diário - Depois disso, passou por alguma outra situação parecida?

Ariane - Não. Eu ainda estou procurando médico. Ela não me indicou nenhum outro profissional.

Diário - O que tu dirias a ela se fosse encontrá-la?

Ariane - Eu acho que não ia querer falar com ela. É uma pessoa que não quero ver nunca mais. Pessoas assim não adianta nem querer conversar, ela não está aberta ao diálogo, tanto que disse que não era para eu insistir.

Diário - Como foi a repercussão na tua família?

Ariane - As avós do meu filho estão em polvorosa, todo mundo reagiu muito mal. Ela era pediatra dos meus sobrinhos, que também saíram de lá. Ela sequer disponibilizou o prontuário do meu filho para eu procurar outro médico.

Diário - Ela pediu desculpas?

Ariane - Não, está na dela.

Diário - Espera que ela reconsidere a mensagem?

Ariane - Não acredito. Pelo tipo de mensagem que ela me mandou. Ela não foi nem capaz de me ligar.

Diário - O que pretende fazer? Vai denuncia-la?

Ariane - Sim, na segunda-feira vamos registrar no Conselho Regional de Medicina.

Leia a mensagem da médica:

"Bom dia Ariane. Estou neste instante declinando em caratér irrevogável, da condição de Pediatra de Francisco. Tu e teu esposo fazem parte do Partido dos Trabalhadores (ele do Psol) e depois de todos os acontecimentos da semana e culminando com o de ontem, onde houve escárnio e deboche do Lula ao vivo e a cores, para todos verem (representante maior do teu partido), eu estou sem a mínima condição de ser Pediatra do teu filho. Poderia inventar desculpas, te atender de mau humor, mas prefiro a HONESTIDADE que sempre pautou minha vida particular e pessoal.

Se quiser posso fazer um breve relatório do prontuário dele para tu levar a outro pediatra.

Gostaria que não insistisse em marcar marcar consultas mais.

Estou profundamente abalada, decepcionada e não posso de forma nenhuma passar por cima dos meus principios. Porto Alegre tem muitos pediatras bons. Estarás bem acompanhada

Espero que compreendas."

Leia outras notícias do dia
Curta nossa página no Facebook

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros