Cachorrinho Billy reaprende a caminhar - Notícias

Versão mobile

 
 

Seu problema é nosso08/04/2016 | 08h20

Cachorrinho Billy reaprende a caminhar

Rede de solidariedade garantiu o tratamento do cãozinho 

Cachorrinho Billy reaprende a caminhar Douglas Roehrs/Agencia RBS
Foto: Douglas Roehrs / Agencia RBS

Desde fevereiro, quando iniciou as sessões de fisioterapia, o cãozinho Billy recomeçou a andar. Com hérnia de disco, o linguicinha de cinco anos não conseguia mexer as patinhas traseiras. Sem condições de custear o tratamento, a família do motorista Adão Oliveira, do Bairro Campo Novo, em Porto Alegre, contou com a solidariedade de leitores do DG, que doaram R$ 3 mil logo depois que a reportagem foi publicada.

Leia mais notícias da seção Seu Problema é Nosso!

Com o dinheiro depositado na conta, Adão comprou os remédios prescritos pela veterinária, pagou as consultas e a fisioterapia do mascote.

Billy já fez 11 das 14 sessões indicadas e, desde a quarta conseguiu recuperar o movimento das patas. Se continuar assim, talvez não necessite de cirurgia. As feridas provocadas pelo contato das patinhas com o chão também estão curadas.

— Ele ainda não firma as patinhas, mas consegue dar alguns passos. Estamos felizes com a reação dele — diz a veterinária Silvana Simas, especializada em acupuntura e fisioterapia, e responsável pelo atendimento de Billy.

Leia também:
Morador da Capital aguarda atendimento veterinário público para cachorro há um mês
Cãozinho precisa de cirurgia para voltar a andar

Adão conseguiu pagar o tratamento e ainda tem cerca de R$ 500 para os custos que podem surgir.

— Agradeço às pessoas que doaram. Sem ajuda eu não conseguiria — comemora.

Lesão grave

Os exames que Billy fez assim que chegou na clínica indicaram que ele estava com uma lesão grave na coluna há bastante tempo. Por não andar, a opção encontrada pela veterinária foi começar com a hidroesteira, que consiste em incentivar o animal a caminhar na esteira dentro de um tanque com água morna.

Foto: Douglas Roehrs / Agencia RBS

O equipamento estimula o toque da patinha no chão, que a veterinária chama de pedalada.

— O Billy está respondendo muito bem ao estímulo na água e logo deve voltar a caminhar sozinho, mas ainda é preciso fortalecer a musculatura para que ele fique mais tempo em pé. A tendência é que ele consiga equilibrar-se melhor para se deslocar sem cair.

Leia mais notícias do dia
Curta a nossa página no Facebook

Produção: Carolina Lewis
*Diário Gaúcho

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros