Escola aberta da Cruzeiro busca um novo prédio para seguir atendendo - Notícias

Versão mobile

 
 

Educação14/07/2016 | 09h54

Escola aberta da Cruzeiro busca um novo prédio para seguir atendendo

Depois de 30 anos utilizando um prédio cedido pela Fundação de Atendimento Sócio-Educativo (Fase), instituição terá de devolver o espaço em dezembro deste ano. Secretaria da Educação procura um novo local para que as aulas continuem a ser oferecidas no bairro

Escola aberta da Cruzeiro busca um novo prédio para seguir atendendo Félix Zucco/Agencia RBS
Parte do andar superior de prédio da Fase abriga salas de aula da Escola Aberta Foto: Félix Zucco / Agencia RBS

— Nós somos a ponte que eles têm para a tentativa de uma vida melhor.

Assim, a diretora Giseli Silveira Oliveira define a importância da Escola Estadual de Ensino Fundamental Vila Cruzeiro do Sul — Escola Aberta, que fica na Cruzeiro, na Capital, na vida de 206 alunos.

Mas o local no qual são acolhidos há três décadas alunos em medida protetiva, aqueles que vivem em abrigos, os que cumprem medida socioeducativa, em distorção idade-série, ou considerados em vulnerabilidade social, está com os dias contados.

Leia mais:
Escolas estaduais poderão ter aulas até 2017 para recuperar dias letivos
Metas da ONU são desafio para alunos em primeira missão de Logus
Esteio: fique atento para as inscrições na educação infantil


De acordo com a diretora, a 1ª Coordenadoria Regional da Educação (Cre) informou, na semana passada, que a escola terá que deixar o prédio que pertence à Fase porque o local será reformado e dará espaço a oficinas e cursos voltados aos internos. A mudança deve ocorrer em dezembro deste ano.

Preocupados

O fechamento preocupa alunos como o aposentado Everaldo Valenço Pacheco, 41 anos, no local desde 1993, e o pedreiro Paulo Florence, 42 anos. – Foi aqui que eu consegui completar o ensino fundamental. Não foi fácil. Quero que meus colegas consigam terminar também – diz Paulo, prestes a formar-se. 

Giseli destaca a importância de a escola permanecer na comunidade Foto: Félix Zucco / Agencia RBS

Acolhimento é permanente

Entre as peculiaridades de uma escola aberta está o fato de não ter matrículas, não seguir a rotina de uma escola regular. Os alunos são acolhidos permanentemente, mas não precisam ficar na escola se não quiserem e voltam quando acharem melhor. Eles não ¿passam de ano¿, mas podem fazer avanços em avaliações que ocorrem três vezes ao ano.

A diretora destaca a importância de a escola permanecer na Cruzeiro. A clientela, que frequenta a escola nos três turnos, é formada por estudantes das vilas Pedreira, Ecológica, 27, Pantanal, Barracão, além de alunos que moram próximos ao Postão. 

No local, são atendidos 206 alunos Foto: Félix Zucco / Agencia RBS

Até dezembro, tudo permanece igual

Uma série de reuniões envolvendo Fase, Secretaria Estadual de Justiça e Direitos Humanos e o Secretaria Estadual de Educação (Seduc) está definindo o futuro da Escola Cruzeiro do Sul. Segundo a titular da 1ª Cre, Jurema Garzella, foi estabelecido que, até dezembro, a escola permanecerá no local onde está, sem modificações.

— A Seduc já procura um novo local para instalar a escola após dezembro, nas proximidades deste — afirma.

O presidente da Fase, Robson Luis Zinn, confirma que o prédio passará por reforma total e que o recurso de US$ 3 milhões (R$ 9,93 milhões, vindos do Banco Interamericano de Desenvolvimento) já está garantido.


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros