Como uma escola estadual no limite entre POA e Viamão resolveu o problema da falta de materiais - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Criatividade e mobilização22/10/2016 | 08h12Atualizada em 22/10/2016 | 10h45

Como uma escola estadual no limite entre POA e Viamão resolveu o problema da falta de materiais

União entre alunos, professores, funcionários e comunidade resultou na aquisição de equipamentos para as aulas de Educação Física

Como uma escola estadual no limite entre POA e Viamão resolveu o problema da falta de materiais Camila Domingues/Especial
Alunos comentam que os resultados da gincana trouxeram muitos benefícios Foto: Camila Domingues / Especial

Uma sala de materiais para as aulas de Educação Física completa e equipada. Este foi o saldo de uma gincana realizada na Escola Estadual Almirante Bacelar, no limite entre Porto Alegre e Viamão. A atividade envolveu os 1,2 mil estudantes, professores, funcionários, direção e comunidade. 

Mas, para a turma 61 em especial, a vencedora na categoria do sexto ao oitavo anos, a competição teve outros ganhos importantes: promoveu a motivação nas aulas, a união entre os estudantes e melhorou a autoestima.

Leia outras notícias do dia

No início deste ano letivo, a professora Natálie dos Reis Rodrigues Kappel percebeu que não seria muito fácil preparar as aulas de Educação Física na escola porque o material disponível estava em más condições. Sabendo que não havia recursos financeiros para aquisição de novos equipamentos, não ficou de braços cruzados: pensou em mobilizar as oito turmas para as quais leciona numa gincana. 

Natálie mobilizou as turmas para a gincana Foto: Camila Domingues / Especial

Modalidades

Como a Almirante Bacelar realiza todos os anos uma gincana durante a festa junina, que conta com a participação de toda a comunidade, os estudantes foram convidados a envolver-se em provas que foram cumpridas durante dois meses. Aproveitando o clima de Olimpíadas, cada uma das 42 turmas recebeu uma modalidade esportiva e foi separada três categorias: do primeiro ao quinto anos, do sexto ao oitavo anos e do nono ano do ensino fundamental ao terceiro do ensino médio.

Leia mais
Após mudança de cardápio da merenda escolar, alunos reclamam de fome em Cachoeirinha
Enem 2016: estudo, esforço e dedicação rumo ao diploma

Na gincana, foram arrecadados pouco mais de R$ 6 mil. Deste valor, R$ 2,4 mil foram destinados à compra de material esportivo (kit de pingue-pongue, bola de rúgbi, disco de frisbee, bambolês, bolas de futsal, vôlei, handebol e basquete, kit de frescobol e raquetes de badminton, entre outros).

R$ 2,4 mil para comprar material esportivo Foto: Camila Domingues / Especial

Como premiação, a turma vencedora na categoria do primeiro ao quinto anos ganhou um passeio para o Zoológico de Sapucaia do Sul, a turma que ganhou na categoria do sexto ao oitavo anos fará um passeio até a Quinta da Estância, em Viamão, e os vencedores da categoria do nono ano do ensino fundamental ao terceiro do ensino médio ganhou o passeio ao Museu de Ciências e Tecnologia da Puc, na Capital. Os segundos e terceiros lugares de cada categoria também receberam prêmios.

Incentivo constante

A turma 61 tem 18 alunos. De acordo com a orientadora educacional Heidi Maciel, grande parte deles está fora da faixa etária do sexto ano (entre dez e 11 anos), por conta da repetência – é a partir do sexto ano que os alunos passam a cursar as disciplinas separadamente, cada uma com um professor. 

Heidi é a orientadora educacional da escola Foto: Camila Domingues / Especial

No caso da Almirante Bacelar há, ainda, outra característica: há salas ambiente para as quais os estudantes se deslocam quando têm aula de cada matéria.

– A maioria precisa de constante incentivo. Os sextos anos (quando começam as séries finais do ensino fundamental) precisam da mesma atenção que recebem os primeiros anos (do ensino fundamental) – explica.

Pensando em realizar um trabalho direcionado a esses estudantes, o grupo de professores decidiu reuni-los numa turma. Heidi acompanha o grupo, realiza dinâmicas e os pais também são envolvidos no processo.

Aulas bem mais divertidas Foto: Camila Domingues / Especial

Passeio será agendado 

Conforme a professora Natálie, no início do ano, os alunos da turma 61 estavam desmotivados e apresentavam problemas de comportamento. A gincana trouxe um novo fôlego para a turma, que segue na busca por melhores resultados. No momento, precisa demonstrar progressos em relação ao comportamento e à postura para que seja agendada a data para o passeio na Quinta da Estância.

– A gincana serviu para mostrar que eles têm valor, que podem conseguir. Para a autoestima da turma, foi bem importante. Espero que consigam aproveitar isso da melhor maneira possível – esclarece Natálie.

Júlia (E) e Rubia felizes na aula de Educação Física Foto: Camila Domingues / Especial

As colegas Júlia Lima da Silveira, 16 anos, e Rubia Quirino Soares, 14 anos, ficaram felizes com o resultado:

– Com o nosso esforço, conseguimos ajudar a escola e a nós mesmos – disse Rubia, que hoje sente-se motivada a frequentar as aulas de educação física.


 
 
 

Siga o Diário Gaúcho no Twitter

  • DarskiVanessa

    DarskiVanessa

    Vanessa@Vagner_LM aí tu vai pro mural da página de crimes do Diário Gaúcho ♥️há 4 horas Retweet
  • lizilha_

    lizilha_

    liz@AndreSousa__ diário Gaucho? me aguarde sendo assessora de imprensa do real madrid 😝😝há 5 horas Retweet
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros