Com remédios para bipolaridade em falta há quatro meses no Estado, casal de idosos gasta R$ 400 por mês - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Seu problema é nosso12/04/2017 | 08h21Atualizada em 12/04/2017 | 08h21

Com remédios para bipolaridade em falta há quatro meses no Estado, casal de idosos gasta R$ 400 por mês

Um dos medicamentos já está disponível, o outro só final do mês

Com remédios para bipolaridade em falta há quatro meses no Estado, casal de idosos gasta R$ 400 por mês Robinson Estrásulas/Agencia RBS
Foto: Robinson Estrásulas / Agencia RBS

Há quatro meses, o aposentado Olmiro da Silva Leote, 68 anos, não consegue retirar os medicamentos Divalproato de Sódio 500mg e Duloxetina 30mg e 60mg para a esposa, a também aposentada, Lorena da Silva Borges, 63 anos. Ela faz tratamento para transtorno bipolar e depressão e precisa dos remédios para manter a saúde mental estável.

Leia mais notícias da seção Seu Problema é Nosso!

"Fortes e caros"

Segundo Olmiro, Lorena tem direito pela Justiça a receber do Estado os medicamentos de graça deste 2007. Todos os meses, Olmiro sai do Bairro Jardim Leopoldina, onde mora, e vai até o Centro de Porto Alegre buscar as caixas na Farmácia de Medicamentos Especiais. Contudo, a última vez que conseguiu sair de lá com os remédios foi em novembro de 2016.

De lá para cá, o casal teve que apertar o orçamento para poder comprar os remédios que, somados, custam cerca de R$ 400 por mês. Vivendo apenas das aposentadorias, Olmiro ressalta que eles não têm condições de pagar pelos medicamentos.

— São remédios fortes e caros, e a Lorena não pode ficar sem, senão ela entra em crise emocional. Estou sendo obrigado a fracionar a medicação, dando um dia sim, outro não, ou em dose mais baixa, porque não temos como comprar tudo — desabafa ele.

Negativa

A última vez que Olmiro foi até a Farmácia de Medicamentos Especiais tentar pegar os remédios foi em 29 de março. Chegando lá, com as receitas em mãos, foi, mais uma vez, informado que estão em falta.

— Eu pedi uma negativa comprovando que não tem os remédios. A atendente me deu o documento e ainda disse que não há previsão de reposição. É uma vergonha — diz Olmiro.

Leia mais
Demora nos atendimentos e falta de Samu voltam a ser reclamações em Cachoeirinha
Aberto desde 2015 e com 4m de profundidade, buraco representa perigo em rua de Porto Alegre
Promotor de vendas não consegue retirar carro de depósito há três anos por conta da burocracia

Um dos remédios está disponível

Ao Diário Gaúcho, a Secretaria Estadual da Saúde informou que o remédio Divalproato de Sódio já está disponível na Farmácia de Medicamentos Especiais e, com isso, Olmiro já pode retirá-lo.

Por outro lado, o Duloxetina – 30mg e 60mg – seguirá atrasada. O prazo de entrega previsto é até o final deste mês.


 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros