Aos 69 anos, moradora de Canoas espera há três meses para receber fraldas da prefeitura - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Seu problema é nosso19/07/2017 | 10h34Atualizada em 19/07/2017 | 11h11

Aos 69 anos, moradora de Canoas espera há três meses para receber fraldas da prefeitura

Desde 2014, ela recebia 180 unidades da secretaria municipal de Saúde, serviço interrompido há três meses

Aos 69 anos, moradora de Canoas espera há três meses para receber fraldas da prefeitura Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal/Arquivo Pessoal
Foto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal
Diário Gaúcho
Diário Gaúcho

Aos 69 anos, as dificuldades de Santa Marina da Rosa Silva vão além da ausência de movimentos nas duas pernas e do Mal de Parkinson do qual é portadora. Desde 2014, a moradora do Bairro Jardim Atlântico, em Canoas, precisa utilizar de oito a dez fraldas geriátricas por dia. Alexandra Estefane de Bittencourt, filha da idosa, conta que a secretaria municipal de Saúde de Canoas disponibilizava 180 unidades mensalmente desde outubro daquele ano, só que isso deixou de ser feito há cerca de três meses.

— Não tem e não dizem o motivo por que não tem. Quero saber o porquê — afirma Alexandra, explicando que os itens eram retirados todo mês na própria secretaria.

Leia mais
Homem que teve pernas amputadas após ser atropelado precisa de R$ 40 mil para comprar próteses
Impasse entre família e prefeitura complica educação de menino autista em Porto Alegre
Transplantada duas vezes, idosa precisa de medicamentos que custam quase R$ 100 mil por mês

Conforme a filha, que tem 45 anos e é vendedora autônoma, os problemas da mãe surgiram depois de a idosa se submeter a uma cirurgia de coluna, que acabou deixando-a sem os movimentos das duas pernas.

— Ela não anda, não para de pé. É que nem um bebê: bota de pé e cai — lamenta, acrescentando que a mãe ainda sofre de pressão alta e trombose.

Santa Marina mora com o marido, Telmo Dias da Silva, 66 anos. Ambos são aposentados. No dia a dia, é ele quem cuida da esposa na maior parte do tempo, mas a função é revezada, sempre que possível, com outros familiares.

Por conta própria

Enquanto não recebe, a família tem se organizado para garantir, por si, as fraldas geriátricas de tamanho G ou GG. Segundo Alexandra, cada pacote custa cerca de R$ 20 e vem com oito unidades, o que corresponde a, pelo menos, R$ 450 reais mensalmente gastos com os itens.

— A gente economiza daqui, economiza dali, recebe doações. Aí, vai comprando o que dá — conta a filha, que alerta: — A mãe tem problemas de infecção urinária com frequência. Se tu não trocar toda hora, corre o risco de a infecção piorar ou de pegar outra infecção.

Prefeitura promete resolver o caso

Por meio da assessoria de imprensa da prefeitura de Canoas, a Secretaria Municipal de Saúde se pronunciou sobre o caso de Santa Marina. Informou que, no prazo máximo de um mês, as fraldas das quais necessita a idosa estarão disponíveis, nos tamanhos G e GG.

Disse, ainda, que o processo de compra dos itens já está aprovado. Por fim, explicou que "a interrupção se deu pela falta do produto em estoque".

*Produção: Juliano Zarembski

Leia mais notícias


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros