Solidariedade em tempo recorde: um mês após reportagem, grupo de voluntários doa mais uma cadeira de rodas após juntar lacres de latinhas - Notícias

Versão mobile

 

Olha que legal!05/08/2017 | 08h00Atualizada em 05/08/2017 | 08h00

Solidariedade em tempo recorde: um mês após reportagem, grupo de voluntários doa mais uma cadeira de rodas após juntar lacres de latinhas

Cada cadeira é trocada por quase meio milhão de lacres. Ação foi multiplicada com doações de todo o Rio Grande do Sul. 

Solidariedade em tempo recorde: um mês após reportagem, grupo de voluntários doa mais uma cadeira de rodas após juntar lacres de latinhas Omar Freitas/Agencia RBS
Cláudia (E) entrega cadeira a família no Bairro Restinga, zona sul de Porto Alegre Foto: Omar Freitas / Agencia RBS

O que poderia levar seis meses para ser concretizado ganhou força em menos de 30 dias, graças à corrente formada por voluntários anônimos unidos pelo mesmo objetivo de ajudar quem necessita. 

Nesta sexta-feira (4), o grupo Amor ao Próximo fez a entrega de mais uma cadeira de rodas trocada por lacres de alumínio arrecadados a partir de doações. A partir da divulgação nos jornais Diário Gaúcho e Zero Hora da história do grupo criado pela comerciante Cláudia Araújo, 49 anos, do Bairro Campo Novo, zona sul de Porto Alegre, dezenas de pessoas de diferentes regiões do Estado se ofereceram para doar o que pode ser considerado lixo para muitos. 

Lacres de latas de alumínio e tampas plásticas guardadas por Cláudia em garrafas PET de dois e de cinco litros se transformam em cadeiras de rodas e caixas de leite, que são doadas a quem precisa. 

Leia mais

Grupo de skatistas adota praça em Viamão

Anjas de Batom leva solidariedade ao Asilo Padre Cacique

 – Em função da reportagem, um senhor do Bairro Vila Nova doou nove garrafas com lacres, ou seja, 25 mil lacres arrecadados só com ele. Estão juntando em Rio Grande, em Minas do Leão, na Região Metropolitana e no Norte do Estado. O melhor é que um voluntário se ofereceu para buscar estas doações vindas do Interior – comemora Cláudia. 

Na tarde de sexta-feira, a união dos voluntários levou um sorriso à família da dona de casa Maria Luíza Martins da Silva, 63 anos, no Bairro Restinga. Em recuperação depois de sofrer um AVC na semana passada, Maria Luíza foi a primeira contemplada pela mobilização ocorrida a partir da publicação no jornal, no mês passado. Foi a irmã dela, a técnica em enfermagem Janete da Silva, 55 anos, quem acionou o Amor ao Próximo para pedir ajuda. 

– Repassei para as minhas colegas a situação da minha irmã e uma me indicou o grupo. Enviei o pedido de auxílio, mas não imaginava que seríamos atendidas tão rápido. Uma mão lava a outra – conta Janete, responsável por cuidar da irmã. 

Equipamento ajudará na recuperação de Maria Luíza Foto: Omar Freitas / Agencia RBS

No mesmo dia em que a técnica de enfermagem ligou, Cláudia se preparava para trocar os lacres pela cadeira. O pedido urgente agilizou ainda mais a entrega. Maria Luíza saiu do hospital na segunda-feira passada e ainda não tem os equipamentos necessários, como uma cama hospitalar, que lhe auxiliarão na recuperação dos movimentos do lado esquerdo. 

Janete, que já recolhia tampas plásticas e as doava a outra instituição da Capital, promete começar a juntar também os lacres em agradecimento à Amor ao Próximo:

– Este gesto solidário vem numa hora em que ainda estamos nos adaptando à nova situação. É uma atitude nobre.

Para ajudar

- Contatos pelo WhatsApp (51) 99966-1283

- Grupo fechado Amor ao Próximo 

Como funciona a iniciativa do Rotary 

- 160 garrafas PET de dois litros cheias de lacres de alumínio – cerca de 100kg – valem uma cadeira de rodas.

- Numa garrafa de 2 litros cabem, em média, 2,7 mil lacres. 

- Uma cadeira manual custa R$ 350.

- Os lacres são encaminhados para a empresa parceira Maquimotor, no Bairro Lindóia, que os repassa para a Metalúrgica Brutt, em Cachoeirinha. 

- A metalúrgica paga R$ 3,50 por quilo.

- O Rotary compra as cadeiras fabricadas por uma empresa paulista de Ferraz de Vasconcelos.

- Outra parceira da iniciativa, a Unidão Transportes, se encarrega de trazer as cadeiras gratuitamente até Porto Alegre. 

- Em três anos de projeto, 320 cadeiras de rodas já foram distribuídas em todo o Estado.

-  O Rotary conta com mais de 70 parceiros no Rio Grande do Sul, um deles é o grupo Amor ao Próximo. 

- Neste período, foram arrecadadas 14 toneladas de lacres.* O projeto não arrecada a latinha de alumínio para não prejudicar as famílias que vivem da reciclagem.

- Para ajudar: rclindoia@gmail.com


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros