Materiais básicos estão em falta na Secretaria de Saúde de Sapucaia do Sul - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Seu problema é nosso17/10/2017 | 13h55Atualizada em 17/10/2017 | 13h55

Materiais básicos estão em falta na Secretaria de Saúde de Sapucaia do Sul

Há quatro meses, o aposentado Valdir Quevedo sofre com a falta sondas uretrais no almoxarifado

Materiais básicos estão em falta na Secretaria de Saúde de Sapucaia do Sul Arquivo Pessoal / Leitor/DG/Leitor/DG
Valdir gasta mais de R$ 200 por mês em sondas uretrais Foto: Arquivo Pessoal / Leitor/DG / Leitor/DG

Depois de passar por uma cirurgia na próstata, o aposentado Valdir Quevedo Mello, 76 anos, perdeu a função da bexiga. Há dois anos, o idoso conta com o auxílio de sondas uretrais, luvas e xilocaína (pomada anestésica) para conseguir urinar. 

Leia mais
Tratamento no exterior é esperança para jovem da Capital
Após problema ser publicado no Diário Gaúcho, aposentada volta a receber remédios
Em Porto Alegre, um dilema brota do esgoto

Os materiais que o aposentado utiliza são distribuídos pela prefeitura de Sapucaia do Sul, cidade onde mora. O setor responsável por disponibilizar os produtos é o almoxarifado da Secretaria da Saúde. Entretanto, há quatro meses, a sonda está em falta. 

Orçamento 

Valdir conta que, quando a prefeitura não disponibiliza o equipamento, ele precisa recorrer a meios particulares para adquiri- lo, e isso acaba por prejudicar o orçamento da família. 

— A gente deixa de comprar algo para comer para poder comprar a sondinha — explica o idoso. 

Ele admite que, quando não tem o material fornecido pela prefeitura e também não consegue comprá- lo, acaba apelando para o atendimento hospitalar.  

Leia mais notícias da seção Seu Problema é Nosso!   

— Sem a sonda, não há como eu urinar. Então, tenho que ir a um hospital. Mas eles só colocam apenas uma vez e me mandam embora — conta Valdir. 

"Não vem nunca" 

Sem as sondas, Valdir acaba arcando com o gasto. Por mês, o aposentado usa cerca de 180 sondas uretrais. Cada uma custa em média de R$ 1,20. Ou seja, Valdir gasta mais de R$ 200 por mês. 

Em relação às justificativas da prefeitura, o aposentado diz que o responsável pelo almoxarifado sempre explica que o material está chegando. Mas, segundo Valdir, isso não acontece. 

— Ele diz que vai chegar, mas não vem nunca — conta. 

A esposa de Valdir, Iolanda Moreira Mello, diz que outros materiais básicos também não estão sendo disponibilizados pela prefeitura, como fraldas e itens para fazer curativos. 

Prefeitura diz que já solicitou compra 

A prefeitura de Sapucaia do Sul esclareceu que as luvas e a xilocaína já estão disponíveis para retirada no Almoxarifado da Secretaria de Saúde. A compra de sondas uretrais já foi solicitada, entretanto, não foi informado quando estarão disponíveis para a população. 

A prefeitura explicou que a retirada de materiais aumentou neste ano por conta do crescimento do número de atendimentos na rede municipal de saúde, e afirmou que isso ocasionou a falta de alguns itens.

Pacientes que retiram materiais no Almoxarifado da Secretaria de Saúde de Sapucaia podem obter mais informações pelo telefone (51) 3452-5551. 

*Produção: Eduarda Endler

Leia mais notícias da seção Seu Problema é Nosso!   


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros