Usuários do trensurb reclamam de escadas rolantes que não funcionam - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Seu problema é nosso02/11/2017 | 10h01Atualizada em 02/11/2017 | 10h01

Usuários do trensurb reclamam de escadas rolantes que não funcionam

Idosos e pessoas com mobilidade reduzida, que teriam dificuldade de acessar as plataformas, passam por dificuldades

Usuários do trensurb reclamam de escadas rolantes que não funcionam Lívia Stumpf / Agência RBS/Agência RBS
Na Estação Unisinos, nenhuma das quatro escadas do local está em operação Foto: Lívia Stumpf / Agência RBS / Agência RBS

Os usuários da Trensurb estão cansados de um problema que se estende desde 2013: escadas rolantes estragadas em estações de São Leopoldo, no Vale do Sinos. O Diário Gaúcho acompanha a situação e já falou sobre o incômodo por pelo menos três vezes — em julho de 2013, agosto de 2014 e em abril deste ano.

Leia mais
Menina aguarda por remoção de fixador externo em Viamão
Aposentado está há um mês sem receber remédios em Sapucaia do Sul
Novo tratamento é esperança para jovem com doença rara

Dificuldade

Quem mora na cidade sabe que não pode depender das quatro escadas rolantes da Estação Unisinos, pois elas estão inoperantes há quatro anos. Idosos e pessoas com mobilidade reduzida, que teriam dificuldade de acessar as plataformas, passam por dificuldades. Um desses casos é o da dona de casa aposentada Terezinha Avani Machado, 73 anos.

A idosa mora há menos de um quilômetro da Estação Unisinos, mas não consegue pegar os trens que passam pelo local, já que as escadas estão estragadas. Mesmo que quisesse usar o elevador da estação, Terezinha teria de subir ao menos um andar de escadas, já que o equipamento não se encontra no saguão principal, conforme relata seu filho, o operador de produção Rafael Machado Kologeski, 40 anos. 

A aposentada precisa usar o trensurb para ir até Porto Alegre fazer sessões de fisioterapia. Quem a ajuda é Rafael. Ele leva a mãe até a Estação São Leopoldo, onde duas das quatro escadas do terminal ainda funcionam. Essa e a estação mais próxima da residência de Terezinha onde há equipamentos operando.

— É uma situação complicada e nem um pouco recente. Esse problema já incomoda há alguns anos. E afeta não somente idosos, mas a todos, tornando a mobilidade dentro da estação muito mais complicada — diz Rafael.

Leia mais notícias da seção Seu Problema é Nosso!   

Promessas para o ano que vem

O problema das escadas rolantes ainda vai se estender por mais algum tempo. Mas, segundo a Trensurb, um contrato para substituição dos equipamentos foi firmado com a empresa Thyssenkrupp Elevadores S.A. em setembro passado. O acordo é para que sejam fornecidas novas escadas rolantes para ambas as estações: duas na Estação São Leopoldo, uma para cada plataforma, e quatro na Estação Unisinos, duas para a plataforma, uma para o terminal de integração e outra para o centro comercial.

No contrato, segundo a empresa de trens, "estão incluídos o projeto, montagem, instalação, garantias e assistência técnica, além da remoção das escadas inoperantes instaladas atualmente nos locais". O valor do acordo é de R$ 3,3 milhões, e o prazo máximo estipulado para a conclusão da instalação das escadas é agosto de 2018.

Mobilidade

Ainda segundo a Trensurb, as escadas rolantes servem para melhorar o fluxo interno das estações e não são equipamentos de acessibilidade. A empresa diz que pessoas com dificuldade de locomoção devem utilizar os elevadores e rampas disponíveis. 

Os agentes metroviários e da segurança também estão treinados para atendimento a pessoas com deficiência e a empresa conta com plataformas portáteis para transporte de cadeiras de rodas em escadas fixas quando necessário, explicou a Trensurb, por meio de nota.

*Produção: Alberi Neto

Leia mais notícias da seção Seu Problema é Nosso!   

 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros