Mesas na calçada atrapalham locomoção de cadeirantes na Rua dos Andradas, em Porto Alegre - Notícias

Versão mobile

 

Seu problema é nosso05/02/2018 | 09h08Atualizada em 05/02/2018 | 09h20

Mesas na calçada atrapalham locomoção de cadeirantes na Rua dos Andradas, em Porto Alegre

Morador da região, o cadeirante Luiz Carlos, conta que, por vezes, não consegue se deslocar entre mesas e cadeiras do comércio local - em especial, entre as ruas Caldas Júnior e General Bento Martins

Mesas na calçada atrapalham locomoção de cadeirantes na Rua dos Andradas, em Porto Alegre Anselmo Cunha / Agência RBS/Agência RBS
Foto: Anselmo Cunha / Agência RBS / Agência RBS

Morador há um ano da Rua dos Andradas, no Centro da Capital, o motorista aposentado Luiz Carlos do Canto, 43 anos, enfrenta diariamente dificuldades para se locomover pelas calçadas da via. 

Leia mais
Prefeitura de Alvorada patrola rua depois que caminhão cai em buraco no local
Buraco na calçada espera por reparo há cinco meses em bairro de Porto Alegre
VÍDEO: Reservatório do Dmae com vazamento preocupa moradores na zona sul da Capital

Cadeirante, ele, por vezes, não consegue se deslocar entre mesas e cadeiras do comércio local — em especial, entre as ruas Caldas Júnior e General Bento Martins. Desde dezembro, aguarda por uma resposta do poder público sobre a questão: 

— Quando passei a usar cadeira de rodas, me mudei para cá esperando ir de um lugar a outro com mais facilidade, por ser uma área central. É muito frustrante ter que pedir licença e lidar com o incômodo dos outros. 

De segunda-feira a sábado, por volta das 17h, quando está voltando da fisioterapia, Luiz precisa contornar os espaços ocupados por clientes. 

Desânimo 

Quando tentou conversar com donos de estabelecimentos, frustrou- se. 

— Eles nem prestam atenção no que falamos. Para eles, o que importa é o lucro, nada mais — decepciona- se. 

As conversas com o poder público também foram desanimadoras. Luiz relata que os contatos que fez não surtiram efeito e que não consegue se sentir atendido pela administração pública. O motorista aposentado sabe que a mudança é demorada e que depende também de quem frequenta os bares e restaurantes da rua: 

— A calçada é para ir e vir. Fico muito chateado, sei que é um problema que afeta mais pessoas. 

Foto: Anselmo Cunha / Agência RBS

Prefeitura não constatou irregularidades 

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SMDE) informou que são feitas vistorias para verificar se o passeio ou o recuo de calçada permite a colocação de mesas e cadeiras. O trabalho é feito pela seção de fiscalização de ambulantes. Após a vistoria, o órgão recebe uma avaliação do setor para incluir no alvará a quantidade autorizada, de acordo com a legislação. 

Segundo a SMDE, denúncias como a de Luiz são controladas pela equipe — que tem feito ações periódicas no local e não constatou irregularidades. A suposição da prefeitura é de que os clientes se espalham sem que o dono do local perceba. 

O que diz a lei municipal 

Decreto n º 13.452, de 24 de outubro de 2001 

— Art. 5 º É vedada a instalação de mesas e cadeiras nos passeios públicos nos seguintes casos: I — em passeios que possuam largura inferior a 4m. 

— Art. 19 Em caso de descumprimento do disposto no presente Decreto, aplicar- se- á a multa prevista no inc. IX do art. 18 da Lei Complementar n º 12, de 07 de janeiro de 1975. 

*Produção: Leticia Gomes 

Leia mais notícias da seção Seu Problema é Nosso!


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros