Moradores do Lami organizam abaixo-assinado para pedir linha de lotação, em Porto Alegre - Notícias

Versão mobile

 

Seu problema é nosso21/08/2018 | 09h30Atualizada em 21/08/2018 | 09h30

Moradores do Lami organizam abaixo-assinado para pedir linha de lotação, em Porto Alegre

A petição, aberta há quatro meses, já chega a quase mil assinaturas

Moradores do Lami organizam abaixo-assinado para pedir linha de lotação, em Porto Alegre Petição Pública / Reprodução/Reprodução
Abaixo-assinado online já chega perto de mil assinaturas Foto: Petição Pública / Reprodução / Reprodução

Não vem sendo fácil o dia-a-dia dos moradores do Lami, bairro da zona sul de Porto Alegre, que dependem do transporte público. As poucas opções motivaram o vigia noturno Jeferson Lopes Da Rocha, 37 anos, a criar um abaixo-assinado online para solicitar uma linha de lotação que passe pelo bairro. A petição, aberta há quatro meses, já chega a 987 adesões. 

Leia mais
Menina busca apoio para comprar prótese, em Guaíba
Defeito em estação de bombeamento de esgoto preocupa moradores da Capital
Falta de compressor cancela atendimentos em centro odontológico do IAPI

— Este meio de transporte é necessário para a melhora da qualidade de vida de todos os usuários que sofrem com os meios de transporte público atuais — defende o pedido registrado no site Petição Pública

Não bastando as poucas linhas de ônibus que ligam o extremo sul da Capital ao Centro, o tempo de viagem e o conforto também preocupam. 

— A ida dos trabalhadores do Lami ao Centro demora uma hora e meia. É bastante cansativo — conta o vigia noturno. 

Divulgação 

O trabalho de divulgação da petição é feito por Jeferson e por sua esposa, a cozinheira Alexandra Ribeiro da Silva da Rocha, 32 anos. O casal conta que utiliza as redes sociais para comunicar sobre o pedido dos moradores, mas confessa que não é um trabalho simples. 

— A situação do bairro está bem difícil, os moradores estão desanimados, pensam que estão esquecidos — expõe Alexandra. 

Não há um número exato de assinaturas que garanta que a petição será atendida, segundo Jeferson. O morador também informa que o pedido já é do conhecimento da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC). O processo Jeferson está em avaliação, segundo ele — fato confirmada pela EPTC. 

Distância 

No bairro Lami, que conta com 4.642 habitantes, a população é atendida por linhas como a 2672 Lami-Vitória, que passa em intervalos mínimos de uma hora e 10 minutos — durante dias úteis —, segundo a tabela da EPTC disponível na internet. O trajeto chega a 31km entre o Centro e o final da linha, na Rua Sapolândia. 

Pedido será analisado 

A EPTC informou que o pedido dos moradores do Lami está sendo analisado e será submetido a um Estudo de Viabilidade Técnica. Se, após essa análise, for verificada a possibilidade, itinerários de linhas existentes podem ser alterados e ampliados. 

Entretanto, o comunicado da EPTC não respondeu à pergunta feita pela reportagem sobre quais critérios definem se um pedido de criação de linha é viável.

Como sugerir a criação de uma linha

— Sugestões para alterações, bem como criação de linhas de transporte devem ser protocoladas no Atendimento do Cidadão da EPTC (Av. Erico Verissimo, 100, bairro Menino Deus, das 9h às 16h), pelo telefone 118 ou pelo e-mail eptc@eptc.prefpoa.com.br.
— O pedido será analisado por meio de um Estudo de Viabilidade Técnica.
— Se houver viabilidade, itinerários de linhas existentes podem ser alterados, ou criados novos ramais (derivações de linhas existentes).
— Se nenhuma das anteriores for possível, a nova linha — após viabilidade comprovada pelo estudo — poderá ser criada por meio de uma licitação municipal. 

*Produção: Ásafe Bueno

Leia outras notícias da seção Seu Problema é Nosso


 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros