"Sobre Marias e Terezas": curta-metragem filmado na Lomba do Pinheiro será exibido para moradores - Notícias

Versão mobile

 

Cinema21/09/2018 | 07h58Atualizada em 21/09/2018 | 08h00

"Sobre Marias e Terezas": curta-metragem filmado na Lomba do Pinheiro será exibido para moradores

Filme retrata a vida e a história da comunidade através do olhar de duas mulheres

"Sobre Marias e Terezas": curta-metragem filmado na Lomba do Pinheiro será exibido para moradores Isadora Neumann/Agencia RBS
Terezinha (E), Eveliana e Maria (D) Foto: Isadora Neumann / Agencia RBS

Primeiro filme totalmente rodado na Lomba do Pinheiro, em Porto Alegre, Sobre Marias e Terezas retrata a vida e a história dessa comunidade pelo olhar de duas mulheres. Em 22 minutos, o curta-metragem produzido pelo Coletivo Das Flor mistura ficção e realidade ao expor o dia a dia da comerciante Maria (Maria Ilça Prusch Marques, 71 anos) e da cuidadora de crianças Tereza (Terezinha Francisco, 70 anos), ambas já aposentadas, que chegaram ao bairro há 40 anos. A obra será exibida para a comunidade pela primeira vez neste sábado no salão da Igreja São Pedro, às 16h – com mais três projeções previstas (veja as datas e horários abaixo). Todas terão entrada franca. 

Leia outras notícias do Diário Gaúcho

Ao contarem suas histórias, as protagonistas revelam um pouco do passado da Lomba, das dificuldades de deslocamento em um bairro que nascia em meio a Zona Rural, dos desafios para se ir trabalhar e da falta de transporte público. Toda a narrativa é desenvolvida com um fundo poético e musical, e o filme traz depoimentos e cenas que ilustram os hábitos, a religiosidade, as paixões, frustrações e as relações afetivas de quem vive na região. 

 PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 17/09/2018: Sobre Marias e Terezas: três mulheres narram documentário sobre a Lomba do Pinheiro. Na foto: Maria Ilça Prusch Marques (E), Eveliana Marques (Ekin - nome artístico) e Terezinha Carvalho Francisco (D)Indexador: ISADORA NEUMANN
Narrativa da obra é desenvolvida com fundo poéticoFoto: Isadora Neumann / Agencia RBS

Música
Outra característica forte do bairro que é evidenciada no vídeo é a musicalidade. A música tema foi composta e interpretada por Álvaro Vilaverde e contou com a participação da Orquestra do Instituto Popular de Arte-Educação, uma ONG da Lomba do Pinheiro.

Segundo a diretora da obra Luciane Panisson, a ideia de fazer o documentário surgiu a partir do convívio com as pessoas que participam das oficinas de teatro do Coletivo Das Flor. Em novembro de 2014, este primeiro contato deu origem a uma fábula urbana que percorreu as ruas da Lomba do Pinheiro. O espetáculo Lombay foi resultado do projeto Das Flor _ um Diálogo Antropológico com a Lomba do Pinheiro. 

Leia também:
Escultura desperta curiosidade nos moradores do bairro Restinga
Estudante de São Paulo vive final de semana de turista em Alvorada
Filme rodado em Alvorada tem estrela global no elenco

– Agora, tínhamos a necessidade de compartilhar a história dessa comunidade numa escala maior. A Lomba do Pinheiro é muito mais do que a questão da violência, que é tão evidenciada. 

Neste contexto, Maria e Tereza foram escolhidas para falar de protagonismo feminino por meio de suas vidas, representando todas as mulheres guerreiras do bairro. Ao longo dos depoimentos, ambas mostram como estão à frente de suas escolhas de vida. 

– Elas vêm de gerações que eram muito submissas com suas relações patriarcais e, ainda assim, se tornaram mulheres que hoje decidem o que querem fazer da própria vida – explica Luciane.

"Representam todas que têm suas vidas nas mãos"
Embora já tivessem tido a experiência do teatro, com o espetáculo Lombay, foi a primeira vez que Maria e Tereza encararam o vídeo:

– No começo, não queria, mas, depois, não quis mais parar de falar. Me sinto realizada por morar na Lomba. Tenho tudo aqui: meus grupos de caminhada, ginástica, artesanato. Sou espontânea e o bairro combina comigo – admite Tereza. 

– Nunca sonhei em participar de um filme que contasse a minha vida. As Marias e as Terezas representam todas as mulheres que têm suas vidas nas mãos. Eu sou três mulheres a mais do que era quando cheguei aqui, há 40 anos. Tinha 18 anos, era um bicho do mato – recorda Maria.

Junto com a história da Maria e da Tereza, o documentário também mostra o protagonismo de Eveliana Marques, que é uma atriz que nasceu na Lomba do Pinheiro, filha de Maria:

– É um documentário ficcional que é muito teatral e mexe com as emoções dos moradores da Lomba. Para mim, também foi um resgate da minha infância – conta a professora de teatro e palhaça profissional. 

A única exibição feita até agora foi direcionada aos alunos da Escola Estadual de Ensino Fundamental Eva Carminatti, localizada no bairro. Segundo Luciana, a ideia de levar o documentário até eles era fazer com o que os jovens se inspirassem nas histórias de vida das protagonistas.

– A Lomba do Pinheiro é um bairro muito peculiar e é importante que os moradores se reconheçam como protagonistas dele. 

Filmado entre abril e maio de 2017, o curta-metragem é financiado Fumproarte da Secretaria Municipal de Cultura – prefeitura de Porto Alegre. 

Leia também:
Diretor M. Night Shyamalan, de "O Sexto Sentido", filma em Porto Alegre

Sessões de estreia
///  22/9, sábado, às 16h, no Salão da Igreja São Pedro (Rua Roque Gonzales, s/n°, Lomba do Pinheiro)

///  28/9, sexta-feira, às 19h30min e às 20h, na escadaria da Igreja das Dores (Rua dos Andradas, 587, Centro Histórico)

///  30/9, domingo, às 19h, no jardim do Museu Joaquim José Felizardo (Rua João Alfredo, 582, Cidade Baixa) 

///  8/10, segunda-feira, às 19h, no CineBancários (Rua General Câmara, 424, Centro Histórico) 

/// Entrada franca em todas as projeções. 

/// A classificação etária é livre.

Ficha técnica - Sobre Marias e Terezas:
Direção: Luciane Panisson
Roteiro: Luciane Panisson, Juliano Ramos e Vitória Monteiro.
Produção Executiva: Leandro Elgelke
Direção de Fotografia: Caio Rodrigues
Direção de Arte e Figurinos: Margarida Rache
Entrevistados: Cleny Terezinha Francisco, Eveliana Marques (Ekin), Hélio Ferreira Franco e Maria Ilça Prusch Marques.
Duração: 22 minutos
Classificação etária: livre

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros