Conheça Pousada da Figueira, o CTG acessível e sustentável de Porto Alegre - Notícias

Versão mobile

 

Modernidade e tradição08/10/2018 | 08h00Atualizada em 08/10/2018 | 08h00

Conheça Pousada da Figueira, o CTG acessível e sustentável de Porto Alegre

Sede do CTG, na Lomba do Pinheiro, tem rampas de acessibilidade, piso tátil, placas em braile e energia solar

O Piquetchê do DG, que tanto sucesso fez no Mês Farroupilha, retorna ao jornal, para a alegria dos gaudérios espalhados Rio Grande afora. Às segundas-feiras, o espaço trará reportagens sobre tradição, música, comportamento, eventos e curiosidades ligadas à cultura gaúcha. 

Para começar, conheça um CTG da Lomba do Pinheiro, na Capital, que homenageia as tradições, mas mantém os olhos no futuro, celebrando a inclusão e a sustentabilidade.

 PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 05/10/2018: CTG Pousada da Figueira conta com rampas de acesso no pátio e no galpão, tem churrasqueira adaptada para assadores cadeirantes. Também conta com painéis de energia solar para abastecimento de energia elétrica e recicla 80% da água consumida. Na foto: João Carlos Barcelos Guterrez, patrão do CTGIndexador: ISADORA NEUMANN
João Carlos quer que todos se sintam bem-vindosFoto: Isadora Neumann / Agencia RBS

É na Lomba do Pinheiro, em Porto Alegre, que fica um dos CTGs mais modernos do mundo. Exagero? O CTG Pousada da Figueira conta com rampas de acessibilidade em todos os acessos, piso tátil dentro e fora do galpão, placas em braile, água captada da chuva e painel de energia solar.

Leia outras notícias do Diário Gaúcho

– Queríamos tornar ele acessível, para que todos se sintam bem-vindos aqui – explica o patrão do CTG, João Carlos Barcelos Guterrez, 56 anos.

Inspiração
O projeto de inovação e acessibilidade teve início em 2010, quando um morador do bairro, o jovem Samuel Ferraz, começou a frequentar o Pousada da Figueira. Ele era cadeirante, e, para se locomover na maioria das áreas, precisava de auxílio. Principalmente nas escadas, onde necessitava da ajuda de terceiros para erguer a cadeira. Agora, onde há degraus, também há rampas de acesso: no palco, na pista e na entrada da cancha.

Leia também
Saiba mais sobre o tropeirismo, tema dos festejos farroupilhas deste ano
Legado deixado por Paixão Côrtes inspira tradicionalistas

– Samuel foi uma inspiração para nós, porque assim notamos as necessidades e passamos a fazer as adaptações – conta João.

 PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 05/10/2018: CTG Pousada da Figueira conta com rampas de acesso no pátio e no galpão, tem churrasqueira adaptada para assadores cadeirantes. Também conta com painéis de energia solar para abastecimento de energia elétrica e recicla 80% da água consumida.Indexador: ISADORA NEUMANN
Pisos táteis auxiliam os deficientes visuaisFoto: Isadora Neumann / Agencia RBS

O garoto faleceu e não chegou a ver as adaptações. Mas, além de inspiração, hoje, o CTG criou o troféu Samuel Ferraz, para os vencedores do campeonato de bocha para cadeirantes.

A cancha também foi adaptada para cadeirantes. O piso é coberto por carpete, que facilita na locomoção da cadeira. Para o jogo foi inventado um "pegador de bocha" – objeto criado para que os cadeirantes não precisem se abaixar e machucar as costas para pegar os apetrechos.

A partir da primeira necessidade resolvida, o CTG identificou que poderia ser ainda mais acessível. Foram, então, colocados pisos táteis para auxiliar os deficientes visuais. As faixas estão desde a entrada do local, na rua, até na parte interna do CTG. Assim como na porta do galpão e nas entradas dos banheiros, há mapas em braile.

– Vamos organizando conforme as dificuldades. O importante é incluir todo mundo na sociedade – afirma o patrão.

 PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 05/10/2018: CTG Pousada da Figueira conta com rampas de acesso no pátio e no galpão, tem churrasqueira adaptada para assadores cadeirantes. Também conta com painéis de energia solar para abastecimento de energia elétrica e recicla 80% da água consumida.Indexador: ISADORA NEUMANN
Sinalização também em braileFoto: Isadora Neumann / Agencia RBS

Tecnologia garante economia
Com o decorrer do tempo, o Pousada da Figueira acabou se tornando, também, um CTG autossustentável. Há dois anos, 50% da estrutura do galpão capta água da chuva. Do consumo da água no Pousada, 80% é da chuva, usada nos banheiros, mictórios e para lavar a área externa.

A luz do CTG é fornecida pelo sistema de energia solar fotovoltaico, que foi implementado há cerca de um ano. As placas solares foram colocadas em parte do telhado do galpão.

– O mundo está evoluindo, precisamos utilizar o que a tecnologia oferece – destaca o patrão. 

A economia em energia é notável já nos primeiros meses, conta João. A conta de luz, em torno de R$ 2,8 mil, passou para R$ 104. Até a água para cozinhar e para o chimarrão é aquecida com a energia solar. São economizados 40% do gás. 

 PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 05/10/2018: CTG Pousada da Figueira conta com rampas de acesso no pátio e no galpão, tem churrasqueira adaptada para assadores cadeirantes. Também conta com painéis de energia solar para abastecimento de energia elétrica e recicla 80% da água consumida.Indexador: ISADORA NEUMANN
Na entrada, sinalização para vagas exclusivas de estacionamentoFoto: Isadora Neumann / Agencia RBS

Quando começou com as primeiras adaptações, o CTG ganhou um selo provisório de acessibilidade.

– Agora, queremos buscar o permanente – projeta João. 

O Pousada da Figueira tem cursos de fandango, danças de invernada, aulas de culinária e outras atividades. Em todas, cadeirantes ou deficientes visuais podem participar.

Fique de olho
Tem mais novidade vindo por aí. Além da nova seção Piquetchê, o Diário Gaúcho, a partir desta semana, traz uma reformulação em suas contracapas. Confira: 

Segundas-feiras – Piquetchê do DG
Terças-feiras – Estrelas da Periferia
Quartas-feiras – Lady/De Bem Com a Vida
Quintas-feiras – Água na Boca
Sextas-feiras – Lá em Casa, com Cris Silva
Sábados – Guri de Uruguaiana

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros