Edição nacional das Olimpíadas Especiais das Apaes reúne mais de mil atletas em Canoas  - Notícias

Versão mobile

 

Integração pelo esporte04/12/2018 | 20h49

Edição nacional das Olimpíadas Especiais das Apaes reúne mais de mil atletas em Canoas 

Evento iniciou na segunda-feira e segue até o próximo sábado

Edição nacional das Olimpíadas Especiais das Apaes reúne mais de mil atletas em Canoas  Robinson Estrásulas/Agencia RBS
Na área do futsal, ocorriam quatro jogos simultâneos Foto: Robinson Estrásulas / Agencia RBS

A partida de futsal masculino entre os times do Rio Grande do Sul e do Amazonas, disputada na tarde desta terça-feira (4), no Complexo Esportivo da Ulbra, em Canoas, foi pegada.  A cada lance, as torcidas, formadas por outros membros das delegações, vibravam e incentivavam seus atletas. Enquanto isso, outras três partidas do mesmo esporte e uma de handebol ocorriam no complexo. 

Leia outras notícias do Diário Gaúcho

O jogo, que terminou 2 a 1 para o Amazonas, fez parte da primeira fase da disputa do futsal masculino na edição nacional das XXII Olimpíadas Especiais das Apaes, que ocorre desde segunda-feira e segue até sábado. O evento reúne 1.079 atletas em 11 modalidades e tem representantes de 23 Estados. Ao todo, segundo a organização, são 2 mil pessoas envolvidas. 

Um deles é Marcelo Ferreira da Silva, 35 anos, aluno da Apae do município de Iranduba e responsável pelos dois gols do time do Amazonas na partida. Graças à performance dele, o time conquistou sua primeira vitória na competição.

– Na primeira partida, contra Pernambuco, nós perdemos. Mas tínhamos viajado um dia e meio para chegar aqui, estávamos muito cansados – conta Marcelo.

 CANOAS, RS, BRASIL 04/12/2018 - Olimpíadas Especiais das Apaes, evento nacional que ocorre em Canoas. (FOTO: ROBINSON ESTRÁSULAS/AGÊNCIA RBS)
Marcelo (D), da delegação do Amazonas, marcou dois golsFoto: Robinson Estrásulas / Agencia RBS

Motivação

Com lágrimas nos olhos, ele dedicou o resultado à esposa, Amanda, e à filhinha Marcele, de apenas um mês e meio:

– Desde criança sou apaixonado por futsal. Não tenho palavras para falar sobre essa Olimpíada, é muito emocionante estar aqui. Graças a Deus, consegui ajudar o time e fazer estes dois gols.

Leia também
Patinadora de Alvorada que acumula títulos vai dar aulas para crianças carentes
Conheça a história de Getulinho: guri de 13 anos teve paralisia cerebral e, hoje, é goleiro em time infantil
Projeto oferece aulas gratuitas de judô em escola do Rubem Berta

Do outro lado da quadra, nada de tristeza. Depois de cumprimentar os vencedores, os atletas do Rio Grande 

 CANOAS, RS, BRASIL 04/12/2018 - Olimpíadas Especiais das Apaes, evento nacional que ocorre em Canoas. (FOTO: ROBINSON ESTRÁSULAS/AGÊNCIA RBS)
Alegria após a vitóriaFoto: Robinson Estrásulas / Agencia RBS

do Sul, campeões da edição passada, receberam o abraço dos treinadores e foram circular pelo evento, conversar com os colegas e confraternizar com outros participantes. Tudo isso faz parte da experiência, como conta Fabiano Rodrigues Kopp, 18 anos, de Santa Cruz do Sul:

– É maravilhoso (estar aqui)! A gente fica em hotel, conhece muita gente. Não é sempre que a gente tem estas oportunidades.

É justamente esta integração o grande objetivo do evento, segundo o Coordenador de Educação Física, Desporto e Lazer da Federação Nacional das Apaes, Roberto Soares.

– Para muitos deles, a vinda para cá já é um acontecimento. Aqui, além de praticar esporte, os alunos precisam exercitar a autonomia, a responsabilidade, a motivação – diz ele.

Praticante de futsal há oito anos, Fabiano até curte a integração, mas confessa que também gosta de competir:

– Jogar por medalhas motiva mais, né?

 CANOAS, RS, BRASIL 04/12/2018 - Olimpíadas Especiais das Apaes, evento nacional que ocorre em Canoas. (FOTO: ROBINSON ESTRÁSULAS/AGÊNCIA RBS)
Após partida do handebol masculino, times trocaram cumprimentosFoto: Robinson Estrásulas / Agencia RBS

Viagem longa

Atleta do time de handebol feminino do Maranhão, Ana Beatriz Lima Costa, 18 anos, viajou de ônibus de São Luís, a capital do seu Estado, até Canoas. Foram três dias para fazer o trajeto, de quase 4 mil quilômetros. 

A delegação desembarcou na madrugada de ontem, por volta da 1h. No início da tarde, as atletas já estavam na quadra.

– Eu jogo há quatro anos. Amo! Handebol é vida. Treino o ano inteiro, duas vezes por semana – conta ela, que fez três gols.

 CANOAS, RS, BRASIL 04/12/2018 - Olimpíadas Especiais das Apaes, evento nacional que ocorre em Canoas. (FOTO: ROBINSON ESTRÁSULAS/AGÊNCIA RBS)
Ana Beatriz (D) viajou durante três dias para participar da competiçãoFoto: Robinson Estrásulas / Agencia RBS

Para quem estava assistindo, o cansaço não parecia atrapalhar, já que o time venceu por 13 a 0 a partida contra Rondônia. Porém, segundo o técnico, José Henrique Azevedo, seu grupo poderia ter rendido mais em quadra.

– Este time já foi campeão brasileiro sete vezes. Cometeram erros que não costumam cometer nos treinos. Mas elas estavam cansadas. A próxima partida vai ser melhor – diz.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros