Menina de São Leopoldo precisa de ajuda para realizar uma reparação de deformidade do crânio  - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Seu Problema é Nosso24/12/2018 | 10h34Atualizada em 24/12/2018 | 10h36

Menina de São Leopoldo precisa de ajuda para realizar uma reparação de deformidade do crânio 

Thayla Timm dos Santos Souza, de apenas um ano e um mês, precisa passar por uma cranioplastia que custa R$ 80 mil

Menina de São Leopoldo precisa de ajuda para realizar uma reparação de deformidade do crânio  LeitorDG / Arquivo Pessoal/Arquivo Pessoal
A pequena Tayla nasceu com craniossinostose coronal direita e plagiocefalia Foto: LeitorDG / Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

Com apenas um ano e um mês, a pequena Thayla Timm dos Santos Souza já enfrentou muitos desafios. A menina, filha da cozinheira Elisangela Timm, 40 anos, nasceu com craniossinostose coronal direita e plagiocefalia — doença no osso do crânio — e precisa passar por uma cranioplastia (reparação de deformidade do crânio) que custa R$ 80 mil. 

Leia mais  
Aos poucos, rotina volta ao normal para crianças alérgicas
Espera por resposta dos pedidos de aposentadoria ultrapassa os 45 dias
Moradores da zona leste de Porto Alegre reclamam sobre constante falta de água na região 

Operação 

O diagnóstico foi feito quando o bebê tinha seis meses. Segundo a mãe, que largou o emprego para cuidar do avô de Thayla, que sofreu um AVC, a cirurgia já deveria ter sido feita, antes de a criança ter completado nove meses. 

— Estamos correndo contra o tempo, lutando para que ela não sofra consequências no sistema neurológico — desabafa Elisangela. 

Para conseguir o valor da cirurgia, a família criou uma vaquinha online, além de realizar rifas e eventos. Para a equipe cirúrgica, de oito pessoas, o valor é de R$ 50 mil. Para o hospital que fizer o procedimento, a quantia é de cerca de R$ 30 mil. Elisangela quer que a operação seja feita no Hospital da Criança Santo Antônio, do grupo Santa Casa de Misericórdia, em Porto Alegre

Nascimento 

Moradoras do bairro Santos Dumont, em São Leopoldo, mãe e filha lutaram juntas desde a gestação. Elisangela e Thayla enfrentaram desafios na hora do parto. 

Depois do nascimento, a mãe percebeu que a filha era diferente, principalmente em relação ao formato de sua cabeça. Entretanto, os médicos afirmavam que não havia nenhum problema. 

— Nunca me falaram nada, mesmo com o rosto tortinho — conta a mãe. 

“Perfeita” 

Depois da descoberta do problema de saúde da filha, Elisangela recorreu ao Sistema Único de Saúde (SUS) para fazer a cirurgia. Mas, até o momento, a menina não foi chamada para a consulta que antecede a cranioplastia e, por isso, a mãe teme pela saúde da filha: 

 — Hoje ela é perfeita. Inteligente, observadora, não tem nenhum dano no sistema neurológico. Mas, se demorar, ela pode sofrer por causa da craniossinostose, que pode comprometer a fala e o movimento. 

Como ajudar

/// Contribua pela vaquinha online.

/// Entre em contato com a família e acompanhe a história da menina pela página do Facebook.

/// Faça depósito bancário pela Caixa Econômica Federal, pela agência 0471, operação 013, conta poupança 00001599-0, em nome de Elisangela Alice Timm (mãe da Thayla). 

/// Para ajudar de outra forma, entre em contato com Elisangela pelo telefone (51) 99621-0531. 

Produção: Eduarda Endler 

Leia outras notícias da seção Seu Problema é Nosso 


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros