Prefeitura promete normalização da coleta de lixo em Alvorada nesta quarta-feira - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Problema20/03/2019 | 14h44Atualizada em 20/03/2019 | 14h49

Prefeitura promete normalização da coleta de lixo em Alvorada nesta quarta-feira

O serviço havia sido retomado na sexta-feira, mas na terça alguns bairros ainda não tinham registrado a passagem do caminhão

Prefeitura promete normalização da coleta de lixo em Alvorada nesta quarta-feira Omar Freitas / Agência RBS/Agência RBS
Roberto acredita que mobilização de moradores ajudaria a resolver o problema Foto: Omar Freitas / Agência RBS / Agência RBS

Há duas semanas, o pedreiro Roberto César Zanchi, 59 anos, não vê o caminhão de lixo passar na Rua Julio César, no bairro Formosa, em Alvorada. Lixeiras estão abarrotadas, grades acumulam sacolas e até árvores são usadas para pendurar o acumulado. Não é difícil encontrar terrenos baldios com sobras de madeiras e lixo espalhado.  

– Já falei para os vizinhos, a gente deveria juntar todas as sacolas e largar no meio da rua para ver se eles vêm e fazem algo – reclama Roberto.

Leia outras notícias do Diário Gaúcho

O problema com a coleta vem ocorrendo há pelo menos 15 dias, desde que funcionários da Ecopav, empresa terceirizada pela prefeitura, deixaram de fazer o serviço por falta de pagamento. O recolhimento foi retomado, segundo a prefeitura, na sexta-feira passada (15), mas ainda nesta terça-feira (19) alguns bairros não tinham registrado a passagem do caminhão de lixo. 

Também no Formosa, mas na Rua Central, outro cenário de acúmulo de lixo. A lixeira da casa do aposentado Sérgio Raupp, 60 anos, já não comporta mais a quantidade de sacolas e muitas foram colocadas no chão. Com os sacos se amontoando pelas calçadas, gramas e lixeiras, a preocupação com a saúde se intensifica. Moradores relatam o aparecimento de ratos pelas ruas do bairro.  

– Tenho um bebê de um mês e não posso deixar lixo acumulando dentro de casa – revela a doméstica Diana Oliveira, 35 anos, que tem uma casa na Rua Julio César.

Leia também
Alvorada no topo do ranking dos devedores de IPTU
Praça Central de Alvorada sofre com descaso e assusta frequentadores
Após ter sofrido um acidente de carro, jovem de Alvorada busca ajuda para tratamento em Brasília

Nova contratação

Diana mora em Alvorada há dois anos e lembra que a interrupção do recolhimento não é de hoje. E, de fato, não é. No site da prefeitura de Alvorada há registros de situações semelhantes em 2017 e 2018. 

Em 2017, a administração informava que o recolhimento não havia sido suspenso, mas reduzido, o que teria causado acúmulo de lixo nas ruas. Em setembro de 2018, em nota oficial, com outra paralisação dos serviços da Ecopav, a prefeitura informava que desconhecia os problemas financeiros enfrentados pela empresa e que havia notificado a terceirizada para retomada do trabalho. 

Lixo se acumulaFoto: Omar Freitas / Agência RBS

Neste ano, assim como nos anteriores, a prefeitura garante que tem mantido os repasses mensais para empresa, cerca de R$ 300 mil, em dia. Segundo o secretário de Serviços Urbanos (Semsu), Marcos Paulo da Silva, diante da sucessão de problemas, a prefeitura estuda romper o contrato, que teve início em abril de 2016.

– Abrimos um processo emergencial para contratação de outra empresa, pelo período de seis meses, para garantir o atendimento, caso seja necessário. A Ecopav presta um bom serviço, o problema é esta questão judicial que eles enfrentam e que afeta a operação – explicou Silva.

Para Ecopav, problema é pontual

A gerente da Ecopav, Elisângela Amaral, explica que há valores bloqueados judicialmente que impedem o acesso aos recursos depositados pelo Executivo. Mesmo assim, a Ecopav encontrou outra forma para quitar os salários dos funcionários e normalizar o atendimento.

– Estamos com 80% da coleta em dia e devemos concluir o trabalho até a noite de hoje (terça-feira, 19) – informou.

Segundo Elisângela o contrato de licitação com a prefeitura é de cinco anos, ou seja, até 2021, mas renovado anualmente, se for esse o interesse das partes. Entre sexta, quando a coleta foi retomada, e o meio-dia de ontem, 440 toneladas de lixo foram retirados das ruas de Alvorada. Os bairros Aparecida, Stella Maris e Formosa, segundo estimativa da Semsu, estavam entre os últimos a terem o recolhimento restabelecido. 


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros