Cirurgia de catarata não acontece e idoso de Alvorada continua esperando - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Seu Problema é Nosso30/04/2019 | 09h47Atualizada em 30/04/2019 | 09h47

Cirurgia de catarata não acontece e idoso de Alvorada continua esperando

O procedimento no olho esquerdo de Valdemar Severo Molina, 73 anos, estava previsto para fevereiro, mas não aconteceu. A espera ultrapassa um ano e quatro meses

Cirurgia de catarata não acontece e idoso de Alvorada continua esperando LeitorDG / Arquivo Pessoal/Arquivo Pessoal
Operação era prevista para fevereiro, mas não aconteceu Foto: LeitorDG / Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

A aflição de quase não ter visão no olho esquerdo continua para o motorista aposentado Valdemar Severo Molina, 73 anos. Morador de Alvorada, ele aguarda pela cirurgia de remoção de catarata — lesão em uma parte do olho chamada cristalino — desde janeiro de 2018. 

Leia mais
Menino de Cachoeirinha sonha em participar de torneio argentino de futebol
Medicamentos seguem em falta para pacientes de Canoas
Com risco de ruir, muro de colégio gera preocupação em Canoas 

O Diário Gaúcho relatou o problema do idoso em 3 de janeiro deste ano. À época, o Instituto de Cardiologia Hospital Viamão, responsável pelo procedimento e referência de Alvorada, afirmou que a previsão da cirurgia de Valdemar era para o mês de fevereiro. Dois meses depois do previsto, ele ainda espera pela marcação. 

— Estou há mais de um ano esperando. Perdi meu serviço extra, em um estacionamento, porque não conseguia mais enxergar as vagas. Também caí diversas vezes dentro de casa e na rua. Durante o dia, consigo ver um pouco, mas, à noite, perco totalmente a visão do olho esquerdo — conta. 

Limitações 

O problema, que surge lentamente até comprometer a visão, foi diagnosticado no dia 5 de janeiro do ano passado, após consulta com oftalmologista. No último dia 18, Valdemar passou por nova consulta, na qual recebeu mais um atestado, confirmando a catarata. A especialista ainda acrescentou no laudo médico que o idoso “está na lista desta instituição aguardando cirurgia”. 

— Até queria saber se eu posso ser encaminhado para outro hospital, porque é muita enrolação. Achei que seria mais rápido — lamenta o aposentado. 

As dificuldades aumentaram na rotina de Valdemar, que mora com a esposa e recebe um salário mínimo (R$ 998). 

— Sem meus bicos no estacionamento e sem poder trabalhar como motorista, não consigo nem mudar meu óculos, que está todo arranhado. As lentes ultrapassam R$ 400 — afirma o idoso. 

Espera chega dos 15 mesesFoto: LeitorDG / Arquivo Pessoal

Nova previsão para maio

A assessoria do Instituto de Cardiologia Hospital Viamão justificou o atraso da cirurgia em função da demanda conveniada pela Secretaria Estadual de Saúde (SES). De acordo com o hospital, a entidade “trabalha dentro do limite contratado pela SES de 50 cirurgias por mês”. Além disso, o hospital alegou que “vários fatores podem influenciar no andamento da fila e, consequentemente, nos prazos previstos, como procedimentos de emergência, por exemplo”. 

A nova previsão é de que Valdemar seja chamado no mês de maio para a realização do procedimento. 

Produção: Caroline Tidra

Leia outras notícias da seção Seu Problema é Nosso  


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros