Posto de saúde da Zona Norte amanhece com longa fila e pacientes esperando senha desde a madrugada - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Bairro Navegantes08/04/2019 | 21h08Atualizada em 08/04/2019 | 21h08

Posto de saúde da Zona Norte amanhece com longa fila e pacientes esperando senha desde a madrugada

Casal de idosos passou quase sete horas para garantir ficha para atendimento com clínico-geral

Posto de saúde da Zona Norte amanhece com longa fila e pacientes esperando senha desde a madrugada Vitor Rosa/Agencia RBS
Por volta das 6h30min, minutos antes do posto abrir, GaúchaZH contou cerca de 80 pessoas na fila Foto: Vitor Rosa / Agencia RBS

Idosos que precisavam de atendimento com clínico-geral passaram a madrugada desta segunda-feira (8) na fila em frente ao Centro de Saúde Navegantes, na zona norte de Porto Alegre. Por volta das 6h30min, minutos antes do posto abrir, GaúchaZH contou cerca de 80 pessoas no local.

Os primeiros da fila eram o cozinheiro aposentado Cirino Molin, 75 anos, e sua esposa, Maria Carnem Molin, 70 anos. Sentado em uma cadeira de praia e bem agasalhado, o casal chegou a 0h45min para garantir que conseguiria ficha para atendimento. Ele trata diabetes na rede pública municipal, e ela, dores nas pernas e articulações. 

Leia outras notícias do Diário Gaúcho

— Aqui é toda semana assim. Só tem segunda-feira para marcar. No telefone, nunca atendem. Ela (Carnem) fica duas horas pendurada no telefone: chama, chama e cai. Quando atendem, dizem que não tem mais ficha — relata Molin.

Ele e a esposa conseguiram a ficha assim que o posto abriu. Já Maria Cavalcanti de Araujo, 68 anos, não teve a mesma sorte. Ela chegou na fila pouco antes das 5h desta segunda e também precisava consultar um clínico-geral. Segundo Carmem, as fichas acabaram bem antes de chegar a sua vez. 

— Tem de chegar a 1h, 2h. Vou ter que me organizar para, na outra semana, tentar novamente — lamenta.

Leia também
Falta de remédios preocupa pacientes com doenças crônicas e raras no Estado
Vacinação contra a gripe começa na quarta-feira
Esteio registra primeiro caso de chikungunya contraído no RS em 2019

Em frente ao posto, há um cartaz avisando que o horário para marcação de consulta para idosos é nas sextas-feiras durante a tarde. Nesta manhã, porém, muitos reclamavam de que não conseguem outro jeito de ser atendido sem ser ficando na fila das madrugadas. A Secretaria Municipal da Saúde explica que somente 20% da oferta de serviços pode ser agendada pelo telefone.

Idosos que precisavam de atendimento com clínico-geral passaram a madrugada desta segunda-feira (8) na fila em frente ao Centro de Saúde Navegantes, na zona norte de Porto Alegre. Por volta das 6h30min, minutos antes do posto abrir, GaúchaZH contou cerca de 80 pessoas no local. Na foto: Cirino Molin, 75 anos, e sua esposa, Maria Carnem Molin, 70 anos.
Cirino Molin e sua esposa, Maria Carnem MolinFoto: Vitor Rosa / Agencia RBS

Os pacientes também reclamam que há menos médicos para atender no posto. A prefeitura confirma que teve uma baixa de quatro clínicos-gerais no posto — três se aposentaram e um pediu exoneração. Agora, dois estão fazendo o trabalho que antes era de seis. O Executivo diz que também não há como contratar novos imediatamente, já que esgotou a lista de profissionais aprovados em concurso. Uma nova seleção está com inscrições abertas.

Nota da Secretaria Municipal de Saúde

"A Secretaria Municipal de Saúde informa que o Centro de Saúde Navegantes conta atualmente com seis médicos — clínicos, ginecologista e pediatra. A população que desejar consultar nas especialidades pediatria e ginecologia tem atendimento imediato. Já para a área clínica atualmente conta com dois profissionais pois esgotou a lista de profissionais aprovados no concurso — o que inviabiliza a possibilidade de novas contratações — e existe um concurso com inscrições abertas. 

A secretaria reforça que não é necessário entrar em filas na madrugada uma vez que as consultas são marcadas levando em conta cada caso de Saúde dos pacientes. Quanto ao agendamento de consultas por telefone, o mesmo se destina a idosos, exatamente pela dificuldade de locomoção até o serviço de Saúde e se limita a 20% da disponibilidade. E é para evitar que situações como estas sigam ocorrendo que a Secretaria investiu no aumento do número de equipes de saúde da família em unidades de saúde, ampliou para quatro o número de unidades com funcionamento até as 22 horas e aumentou o do número de consultas médicas, de enfermagem e de dentista ofertarás nos últimos dois anos."

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros