A rotina dos passageiros da linha T4, a campeã de reclamações de atrasos na Capital - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Transporte público12/08/2019 | 05h00Atualizada em 12/08/2019 | 05h00

A rotina dos passageiros da linha T4, a campeã de reclamações de atrasos na Capital

Em sete meses, 5 mil reclamações de atrasos foram registradas através dos canais da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC). T4 foi alvo de 172 reclamações

A rotina dos passageiros da linha T4, a campeã de reclamações de atrasos na Capital Andréa Graiz/Agencia RBS
Jeniffer usa a linha de três a quatro vezes por semana Foto: Andréa Graiz / Agencia RBS

A pedido de GaúchaZH, a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) levantou o número de reclamações recebidas neste ano por atrasos nas linhas de ônibus que operam em Porto Alegre.  Os dados correspondem ao período de 1º de janeiro a 28 de julho. O campeão de reclamações é o Transversal 4 (T4), que liga as zonas Norte e Sul. De acordo com os números da EPTC, a linha teve 172 reclamações de atrasos registradas por usuários no período de sete meses. O número total de registros foi de 5.241 reclamações.

Leia mais
Confira as cinco linhas de ônibus com mais reclamações de atraso na Capital
Desde 2015, Vicasa foi multada 838 vezes pela Metroplan
Como estão os terminais de transporte público em bairros de Porto Alegre

No terminal do T4 na Zona Sul, usuários da linha relatam as experiências diárias de espera no ponto de ônibus do itinerário que, segundo os próprios passageiros, é que mais atrasa na cidade. 

A operadora de caixa Jeniffer Alves, 24 anos, diz que usa a linha de três a quatro vezes por semana. Para ela, o maior problema está nos horários que circulam entre 18h e 19h. A passageira conta que, neste período, além do tempo maior na parada, embarcar no veículo é um desafio — principalmente, em razão da superlotação.

— Pelo menos quando eu saio tarde, depois das 22h, como é um horário mais tranquilo, costuma vir na hora que está na tabela — conta Jeniffer.

Também operadora de caixa em uma loja do BarraShoppingSul, Carla Dregon, 24 anos, define a linha como "horrível". Ela, que costuma pegar o ônibus no cruzamento das avenidas Oscar Pereira e Aparício Borges, nos horários de pico, conta que já teve de esperar quase uma hora.

— Cheguei antes das 9h50min, que era o horário da tabela, mas só veio um ônibus às 10h45min — recorda.

Superlotação 

O atendente de lanchonete Christian Pereira, 19 anos, relata que, além da demora, a superlotação é outro problema da linha. Morador do bairro Bom Jesus, ele utiliza o coletivo diariamente, saindo de casa para o trabalho por volta das 6h50min:

— Nesse horário, costuma ser muito cheio. O pessoal se estressa, vejo discussões acontecendo repetidamente.  

Usuária frequente do T4, a estudante de psicologia Vitória Broqua, 19 anos, diz que não acha a linha tão demorada, pois "já viu piores". Para ela, o problema maior é a qualidade dos ônibus.

— Acho os carros muito velhos, isso que me incomoda — critica ela.

Carris justifica problemas

Em relação ao T4, a empresa afirmou que os ônibus deste itinerário rodam 4,5 mil quilômetros por dia. Porém, somente 17% desse trecho é percorrido em vias exclusivas para os coletivos. A Carris acrescentou que essa característica "torna a transversal vulnerável a condições de trânsito como congestionamentos, bloqueios e aumento de tráfego".

A Carris diz que a falta de manutenção preventiva nos ônibus em anos anteriores e a frota fadigada decorrente dessa realidade são alguns pontos a se considerar na análise do que leva os usuários a reclamarem das linhas. Por fim, a empresa acredita que a evolução do seu Plano de Manutenção Preventiva terá como resultado a melhoria significativa das condições dos ônibus da Companhia.

No início deste ano, a Carris anunciou a compra de 87 ônibus novos. Segundo a previsão da direção da empresa, os veículos devem chegar até outubro. Consultada, a Carris reiterou que "a consolidação da compra será informada na ocasião da obtenção da linha de crédito".

Como reclamar

/// As reclamações podem ser feitas pelos telefones 156 e 118 ou pelo e-mail eptc@eptc.prefpoa.com.br.

/// A EPTC pede que a reclamação contenha o horário, a linha atrasada e o local.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros