Litro da gasolina aumenta, em média, R$ 0,15 em postos de Porto Alegre - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Reajuste20/09/2019 | 20h00Atualizada em 20/09/2019 | 20h00

Litro da gasolina aumenta, em média, R$ 0,15 em postos de Porto Alegre

Levantamento em 20 postos da Capital identificou litro por até R$ 4,39

Litro da gasolina aumenta, em média, R$ 0,15 em postos de Porto Alegre Bibiana Dihl/Rádio Gaúcha
Valor do litro da gasolina comum chega a R$ 4,39 em postos de Porto Alegre Foto: Bibiana Dihl / Rádio Gaúcha

 Dois dias após a Petrobras anunciar reajuste no valor do litro da gasolina, postos de combustíveis de Porto Alegre já começam a repassar o aumento aos consumidores. Motoristas da Capital começaram a perceber o preço mais caro para encher o tanque entre quinta (19) e sexta-feira (20).

Neste feriado, a reportagem circulou por postos de combustíveis da área central e das zonas Sul, Leste e Norte. Dos 20 estabelecimentos consultados entre 10h20min e 14h, 14 haviam reajustado os preços da gasolina comum na comparação com levantamento feito na última terça-feira (17). Em outros cinco locais, não houve aumento, e um estava fechado (veja lista abaixo).

Leia outras notícias do Diário Gaúcho

O aumento médio identificado nesta sexta-feira foi de R$ 0,15. A maior alta foi constatada no posto Nossa Garagem, localizado na Avenida Benjamin Constant, onde o litro da gasolina comum passou de R$ 4,09 para R$ 4,39, acréscimo de R$ 0,30.

O motorista de aplicativo Bernardo Bandeira Silva, 35 anos, foi pego de surpresa ao abastecer no local:

— Subiu hoje. Parei aqui porque já estava planejado para parar, mas foi mesmo um aumento bem significativo. Antes, estava um preço razoável diante do cenário de uns meses atrás. Para a gente, pesa, porque diminui o percentual de lucro.

O mesmo posto foi um dos que registraram o preço mais alto no levantamento de GaúchaZH: R$ 4,39. É o mesmo valor oferecido em outros quatro postos de combustíveis: Alicar 1 (Avenida Bento Gonçalves), Posto BR (Estrada João de Oliveira Remião), Posto da Rótula (Avenida Carlos Gomes) e Posto Farroupilha (Avenida Assis Brasil).

— Subiu um pouco entre ontem (quinta) e hoje (sexta). Fui pego desprevenido. Sempre tento abastecer na mesma rede, mas procuro o melhor preço. Como trabalho com o carro todo o tempo, dependo disso — relatou Élcio Lopes da Silva, 53, que trabalha como autônomo na área da construção civil.

O valor mais baixo, R$ 4,07, foi identificado no Posto Jardim Verde, que fica na Avenida Eduardo Prado. Outros quatro estabelecimentos não reajustaram o preço da gasolina nesta semana: Sigaran (Rua Barbedo), Caiman (Avenida João Pessoa), Carrefour (Rua Albion) e Andino (Avenida Bento Gonçalves).

— Não aumentou ainda, mas pode ter certeza de que isso vai acontecer nos próximos dias — comentou um frentista, que preferiu não se identificar.

— Tem que se organizar, não dá para rodar. Tento andar de bicicleta e não usar o carro quando isso acontece. Sorte que aqui ainda não aumentou — comemorou o atendente de monitoramento Luís Fernando Assis da Silva, 42 anos, que abastecia na Avenida Bento Gonçalves.

Leia também
Levantamento mostra que maioria das revendedoras ainda não repassou aumento do gás aos consumidores
Cebola, tomate e batata pesam no orçamento do consumidor. Veja como organizar as compras

Aumento esperado

Embora tenha chegado a afirmar que não repassaria o aumento do petróleo, a Petrobras anunciou nesta semana a elevação dos preços nas refinarias. O aumento foi de R$ 0,0916 no diesel (alta de 4,2%) e de R$ 0,0592 na gasolina (alta de 3,5%).

O aumento de preços é consequência da alta no mercado internacional após ataques a instalações petrolíferas na Arábia Saudita. A Petrobras também sentiu a defasagem que tinha em relação aos preços internacionais.

Na quinta-feira (19), o Sindicato Intermunicipal do Comércio Varejista de Combustíveis e Lubrificantes no Rio Grande do Sul (Sulpetro) informou que os postos do Estado já começaram a receber a gasolina e o diesel com os valores reajustados. Conforme o sindicato, no entanto, não há como prever o comportamento dos estabelecimentos.

— A Petrobras disse que não ia ter aumento, mas resolveu aumentar, pegando todo mundo de surpresa. Como ontem (quinta-feira) os postos já tinham recebido a gasolina mais cara, esse movimento de hoje (sexta-feira) é esperado e inevitável. Porto Alegre também estava com um preço médio muito baixo e, como houve este custo extra, normal que o aumento aconteça — explica o presidente do Sulpetro, João Carlos Dal'Aqua.

Este foi o terceiro reajuste no preço do diesel este mês — o combustível já havia sido elevado nos dias 5 e 13 de setembro. O valor da gasolina para as refinarias não era alterado desde o último dia 5. 


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros