Única servidora de biblioteca pública da Capital se aposenta e preocupa comunidade - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Futuro incerto26/10/2019 | 05h00Atualizada em 26/10/2019 | 05h00

Única servidora de biblioteca pública da Capital se aposenta e preocupa comunidade

Moradores do bairro Jardim Sabará procuraram a Secretaria Estadual de Cultura para evitar que o local, em funcionamento desde 1976, fique sem atendimentos

Única servidora de biblioteca pública da Capital se aposenta e preocupa comunidade Mateus Bruxel/Agencia RBS
Idione trabalhou no local durante 26 anos Foto: Mateus Bruxel / Agencia RBS

Um sonho que nasceu do empenho da comunidade, em 1976, há anos sobrevive com dificuldades e falta de investimentos. No entanto, um novo e importante capítulo na história da Biblioteca Pública Leopoldo Boeck, no bairro Jardim Sabará, na Capital, começa a se desenhar a partir de agora. Nesta sexta-feira, a única funcionária da biblioteca se aposentou e nenhum substituto foi anunciado. Preocupada, a comunidade buscou respostas da Secretaria Estadual de Cultura e, até agora, não tem certeza de como e se a biblioteca será mantida.

Leia outras notícias do Diário Gaúcho

– A informação que nós temos é que a coordenadora das bibliotecas no Estado se disponibilizou a vir três vezes por semana, pela manhã. Mas, nos demais dias, não será aberta – relata o contador e morador do bairro Laone Simonetti de Oliveira, 49 anos.  

Por 26 anos, quem abriu as portas da biblioteca, diariamente, foi a servidora pública Idione Demarchi Medeiros, 59 anos. Uma colega também se aposentou no fim de setembro. 

Emocionada, Idione conta que o local é frequentado por moradores de várias idades do bairro e, inclusive, por usuários e funcionários da Unidade de Saúde Coinma, que funciona no terreno à frente. Nas segundas e quartas, grupos de artesanato e terapias alternativas da saúde utilizavam o espaço para os encontros.  

– É um sentimento de tristeza, de ver que o Estado não está preocupado em investir em cultura. Estou aqui há todo esse tempo e não me lembro de verba pública para compra de livros, o que se tem foi conseguido por meio de ações da comunidade e de doações – disse.

PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 25-10-2019: Lorena Simonetti de Oliveira, 9 anos, em espaço de leitura para crianças na biblioteca pública Leopoldo Boeck, no bairro Jardim Itu-Sabará, que corre o risco de fechar. A única bibliotecária Idione Demarchi Medeiros, 59 anos, vai se aposentar. Hoje (25) é o último dia de trabalho dela no local. A comunidade deseja que o espaço continue funcionando. (Foto: Mateus Bruxel / Agência RBS)
Biblioteca tem acervo com livros para todas as idadesFoto: Mateus Bruxel / Agencia RBS

Sem investimento

A biblioteca tem 24.800 livros catalogados, além de revistas, gibis e um espaço exclusivo para as crianças. Mensalmente, cerca de 500 livros são emprestados e, aproximadamente, 100 pessoas utilizam o local para pesquisas, leitura ou trabalho. 

Leia também
Falta de reformas em escola de Gravataí expõe alunos a calorão
Turma do 9º ano de escola da Capital teve apenas 29 dias de aula de matemática em 2019
Roger Machado recebe alunos de escola pública da Capital que desenvolveram trabalho sobre racismo

O comerciário Renato Machado, 58 anos, é frequentador assíduo da biblioteca. Acompanhou a filha Renata, 19 anos, hoje estudante de Biologia na UFRGS, quando ela buscava apoio no local para consultas aos livros exigidos no vestibular.

– Eu lembro que minha mãe pegava livros aqui. Eu venho há mais de 20 anos, quanto conhecimento adquiri em razão disso. É um espaço cultural fundamental para nossa comunidade, espero que continue –declarou Renato.

PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 25-10-2019: A biblioteca pública Leopoldo Boeck, no bairro Jardim Itu-Sabará, corre o risco de fechar. A única bibliotecária Idione Demarchi Medeiros, 59 anos,  vai se aposentar. Hoje (25) é o último dia de trabalho dela no local. A comunidade deseja que o espaço continue funcionando. (Foto: Mateus Bruxel / Agência RBS)
Inaugurada em 1976, biblioteca existe graças ao empenho da comunidadeFoto: Mateus Bruxel / Agencia RBS

A biblioteca não conta com sistema de informatização. Os livros estão registrados em sistema, mas os computadores não funcionam. As fichas dos usuários ainda são feitas com papel e organizadas em uma caixa. O material de trabalho, segundo a ex-funcionária, é restrito. Há lâmpadas queimadas há meses, sem substituição.

local terá “plantões de atendimento”

Os problemas estruturais preocupam a comunidade, mas, nesse momento, a prioridade é resolver a falta de funcionário. Laone, por exemplo, se mudou para o bairro em 1982 e lembra que, naquela época, já ia à biblioteca. Hoje, incentiva a filha Lorena, oito anos, a frequentar o espaço. 

PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 25-10-2019: Fichas de livros na biblioteca pública Leopoldo Boeck, no bairro Jardim Itu-Sabará, que corre o risco de fechar. A única bibliotecária Idione Demarchi Medeiros, 59 anos,  vai se aposentar. Hoje (25) é o último dia de trabalho dela no local. A comunidade deseja que o espaço continue funcionando. (Foto: Mateus Bruxel / Agência RBS)
Fichas ainda são em papelFoto: Mateus Bruxel / Agencia RBS

– Esta é uma iniciativa da comunidade que teve apoio do Estado. Dificuldades sempre existiram e sempre existirão, mas o que nos preocupa agora é a possibilidade de fechar. Em conversa com a secretária no dia 16 de outubro ficou claro que ela não quer isso, mas a situação financeira do Estado é difícil, muito funcionários estão pedindo aposentadoria em função do plano de carreira. Enquanto isso, as escolas estão indicando aos alunos o uso da biblioteca, vendo a necessidade da criança em ter contato com os livros e com a tecnologia ao mesmo tempo – reforça o contador.

Por meio da assessoria de imprensa, a Secretaria da Cultura informou que, a partir de 31 de outubro, o Sistema Estadual de Bibliotecas fará plantões de atendimento em escalas e horários a serem definidos, para não deixar a comunidade desassistida.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros