Em aniversário de cinco anos, menino ganha farda e visita de policiais militares - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Para ficar na memória14/11/2019 | 05h00Atualizada em 14/11/2019 | 05h00

Em aniversário de cinco anos, menino ganha farda e visita de policiais militares

Encontro foi pedido por Naahman, que também conheceu uma viatura

Em aniversário de cinco anos, menino ganha farda e visita de policiais militares Arquivo Pessoal/Divulgação
Interesse começou quando o pequeno tinha apenas dois anos Foto: Arquivo Pessoal / Divulgação

Quando questionado sobre o tema de sua festa de cinco anos, Naahman Kaleb de Quevedo, de Cachoeirinha, não teve dúvidas: respondeu que desejava uma celebração com a temática policial. Pela internet, sua mãe, Catarina Quevedo, 31 anos, encomendou itens para compor a decoração. Mas o menino fez, ainda, mais um pedido à família – a presença de policiais na festa. 

— Desde que ele participou de uma ação da Brigada Militar em Imbé, quando tinha dois anos, passou a demonstrar interesse pela polícia. Até hoje, guarda a medalha, a regatinha e o boné que ganhou naquele dia. Ninguém na nossa família é policial, é uma coisa dele mesmo — lembra Catarina.

Leia outras notícias do Diário Gaúcho

Uma tia de Catarina se propôs a ajudar na empreitada e foi até a sede do Batalhão de Polícia Militar de Cachoeirinha, onde a família mora, para convidá-los para a festa. Alguns dias depois, a sargento Karen Marques entrou em contato com Catarina e disse que daria uma farda para Naahman – que havia pertencido à filha dela – e confirmou que alguns policiais compareceriam. 

“Realizado”

No sábado passado, enquanto a festa ocorria na casa dos avós maternos na Vila Anair, uma viatura estacionou com o giroflex ligado em frente à casa. Mais tarde, outra. Alguns vizinhos até se assustaram, achando que poderia estar ocorrendo algo grave, mas, para a alegria do aniversariante, era o seu sonho que estava se concretizando. 

Naahman Kaleb completou cinco anos e a festa no dia 9 de novembro teve uma participação especial: quatro policiais militares de Cachoeirinha. O garoto é fã da polícia e tinha o sonho de conhecê-los.
Alegria ao conhecer a viaturaFoto: Arquivo Pessoal / Divulgação

Trajado com a roupa que havia recebido dias antes, Naahman recepcionou os ilustres convidados e ainda pôde conhecer de perto as viaturas.

— Quando estamos na rua e ele vê um policial, sempre me pede para parar e cumprimentar. Ele ficou realizado — relata a mãe.

Leia também
Super-heróis perderam a vez: João Pedro escolhe escola de samba da Restinga como tema de sua festa de nove anos
Fã do caminhão do lixo, menino de dois anos ganha uniforme de gari em Porto Alegre

Naahman nasceu aos oito meses de gestação e foi diagnosticado com anomalia de Ebstein, uma malformação em uma válvula do coração. A recuperação do menino, que ficou um mês na UTI e, depois, não teve mais a doença detectada em exames, é atribuída à fé da família e dos amigos. Hoje, ele leva uma vida normal.

— Desde que ele nasceu, eu prometi que, todo o ano, faria uma festinha de aniversário. Mesmo que simples, algo seria feito — conta a mãe.

"Uma renovada nas energias"

Os soldados Rick, Higor, Camila e o sargento Dias foram os responsáveis pela visita. Posaram em diversas fotografias com o anfitrião da festa e interagiram com os convidados. 

Naahman Kaleb completou cinco anos e a festa no dia 9 de novembro teve uma participação especial: quatro policiais militares de Cachoeirinha. O garoto é fã da polícia e tinha o sonho de conhecê-los.
Abraço de fã para ídoloFoto: Arquivo Pessoal / Divulgação

— Quando eu cheguei para trabalhar, não sabia que iríamos ao aniversário. A recepção foi muito legal. Ele (o aniversariante) ficou maravilhado. Até liguei para os meus pais para contar. Nós estamos todos os dias na rua e, muitas vezes, passamos despercebidos. Esse tipo valorização dá uma renovada nas energias — detalha o soldado Rick, 23 anos, há um ano na Brigada.

— Já havia participado em ações em escolas, na praia, mas nunca na casa de alguém. Foi gratificante. Ver que somos um exemplo, sem aquela imagem que, às vezes, se passa para a criança, de que o policial é mau. Para ele, a ideia que existe sobre nós é de proteção — completa a colega Camila, 31 anos, há 10 anos na BM. 

E assim, Naahman teve o desejo realizado, um motivo a mais para admirar a polícia e uma coleção de novas memórias para guardar.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros