Falta de entrega de cartas afeta moradores de cinco cidades da Região Metropolitana - Notícias

Versão mobile

 
 

Seu Problema é Nosso24/02/2020 | 10h33Atualizada em 24/02/2020 | 10h33

Falta de entrega de cartas afeta moradores de cinco cidades da Região Metropolitana

Após a publicação, mais leitores, das mesmas cidades e de outras, informaram ao DG que também não recebiam ou tinham atraso em suas correspondências

Falta de entrega de cartas afeta moradores de cinco cidades da Região Metropolitana Isadora Neumann/Agencia RBS
Alvorada, Esteio, Porto Alegre, Sapucaia do Sul e Viamão também registram o atraso dos Correios Foto: Isadora Neumann / Agencia RBS

Na edição do dia 18, mostramos os problemas que moradores de bairros da Região Metropolitana enfrentam devido à falta de entrega de cartas pelos Correios. Após a publicação, mais leitores, das mesmas cidades e de outras, informaram ao DG que também não recebiam ou tinham atraso em suas correspondências. Nesta reportagem, mostramos que o problema afeta moradores de, pelo menos, cinco cidades. 

LEIA MAIS
Após oito meses, beco de Viamão continua em condições precárias
Proximidade de dunas preocupa morador de Imbé
Bom exemplo: moradora de Sapucaia do Sul embeleza pátio de UBS com o cultivo de um jardim 

A atendente desempregada Valéria da Silva, 28 anos, moradora da Rua Redentor, no centro de Viamão, conta que sua rua está sem receber a visita do carteiro desde janeiro. Sem querer encarar multas e juros, ela foi ao Centro de Distribuição dos Correios (CDD) para tentar retirar e pagar suas contas. Porém, foi surpreendida pela atendente, informando que não havia correspondência para entregar em sua rua:

— Não sei o que está acontecendo, mas é difícil não ter nada para entregar lá com todo esse atraso. 

Na edição do dia 18 de fevereiro deste ano, mostramos os problemas que os moradores de alguns bairros da Região Metropolitana estavam enfrentando devido a falta de entrega de correspondências por parte dos Correios. Após a publicação, leitores de vários cantos do Estado entraram em contato para informar que também não recebiam suas contas ou que estavam atrasadas.Agora, outros bairros e cidades, que não foram citados anteriormente, também se manifestam sobre o assunto. <!-- NICAID(14425757) -->
Valéria aguarda carta do banco há um mêsFoto: arquivo pessoal / arquivo pessoal

De acordo com ela, a única conta que recebe é a da água, impressa na hora por funcionários da Corsan. 

— Estou há um mês aguardando a senha do meu cartão de crédito. Tenho ele aqui, mas não posso usar. Está complicado depender dos Correios. Tomara que tudo isso se resolva — desabafa a atendente. 

Multas, apenas 

Onde a dona de casa Viviane Fridhin da Costa, 33 anos, mora, na Rua José Lins do Rego, bairro Maria Regina, em Alvorada, a única correspondência dos Correios que chegou em sua residência, em um ano e cinco meses morando nesse endereço, foram multas do Detran — cartas registradas, que precisam ser assinadas na hora da entrega. 

— Meu esposo pega as contas na internet e imprime todas. Tudo o que ele precisa receber pelos Correios, coloca o endereço do trabalho, porque, aqui em casa, nada chega — explica Viviane. 

CONFIRA OUTRAS RECLAMAÇÕES

ESTEIO
/// A autônoma Suelen Hinchink Pedroso, 25 anos, que reside na Rua Gilda de Abreu, no bairro Santo Inácio, está recebendo as encomendas de roupas que revende em atraso.
/// No bairro Liberdade, o líder de operações Rudinei Silveira da Silva, 49 anos, precisa imprimir todos os boletos e contas, pois, a única fatura que recebe para pagar é a da luz, que não é entregue pelos Correios.
/// Marisângela Camargo, 44 anos, do bairro Jardim Planalto, não recebe a fatura da internet há dois meses.
/// A dona de casa Marileni Corrêa, 61 anos, moradora da Avenida Castro Alves, no bairro Tamandaré, diz que há tempos as contas só são entregues quando já estão vencidas.
/// Residente na Rua Padre Felipe, no Centro, o líder de refrigeração Richard Marques de Souza, 24 anos, está indignado com a atual situação das entregas: “Sempre recebi as correspondências bem em cima da data ou, até mesmo, meses depois. A desburocratização de alguns serviços online foi o que me salvou”. 

RESPOSTA DOS CORREIOS SOBRE ESTEIO
/// “Todos estes bairros são contemplados com distribuição domiciliária e não há registros de problemas de entrega nestes locais”. 

SAPUCAIA DO SUL
/// No bairro Campina, a dona de casa Valquíria Maria Rocha, 61 anos, afirma que o carteiro não passa em sua rua há mais de 60 dias. 

RESPOSTA DOS CORREIOS SOBRE SAPUCAIA DO SUL
/// “No bairro em questão, aconteceu atraso de alguns dias na distribuição e a previsão é normalizar a entrega até o dia 27 de fevereiro”. 

ALVORADA
/// Moradora da Rua Jovelino de Souza, no bairro Bela Vista, a doméstica Claire Rosane Cunha Carneiro, 62 anos, conta que há seis meses a situação de entrega das cartas fi cou irregular em sua rua, e recebe suas correspondências sempre em atraso. 

PORTO ALEGRE
/// A contadora Liane Morales da Cunha Lima, 40 anos, que mora na Rua Frutuoso Borges, no bairro Passo das Pedras, afirma estar sem entrega dos Correios há mais de um mês. Ela fez a transferência do seu veículo no mês de janeiro, mas ainda não recebeu a documentação. “Fui informada pelo rapaz que me atendeu (nos Correios) que ele não podia procurar minhas correspondências porque estavam todas misturadas. Saí de lá sem o documento do carro, nenhuma outra correspondência, e sem previsão de quando a situação vai normalizar”. 

VIAMÃO
/// Valéria da Silva, 28 anos, está há um mês sem receber correspondências na Rua Redentor, no Centro.
/// Já no bairro Augusta, Lizandra Soares de Souza, 45 anos, moradora da Rua Ramiro Cardoso de Fraga, não recebeu nem mesmo o IPTU para pagar. 

RESPOSTA DOS CORREIOS SOBRE ALVORADA, PORTO ALEGRE E VIAMÃO
/// “Nessas três cidades, ocorreu atraso de alguns dias na distribuição”, mas ações estavam sendo realizadas para colocar a entrega em dia até o sábado, dia 22.

Sindicato afirma que faltam funcionários

De acordo com o Sindicato de Trabalhadores e Trabalhadoras da Empresa de Correios e Telégrafos (Sintect- RS), “o atraso nas entregas de correspondências e encomendas não é responsabilidade dos carteiros, mas da administração da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (EBCT)”. O sindicato afirma existir um volume significativo de correspondências paradas nas unidades dos Correios. 

A entidade concorda que “existem problemas de endereçamento, cão solto e tantos outros” que dificultam a entrega. Mas o motivo principal é a falta de efetivo, diz a entidade. Ainda segundo o Sintect-RS, os Correios “trocam seguidamente o carteiro de zona de entrega, perdendo todo o conhecimento e contato dele com a comunidade e as pessoas”, o que atrasaria ainda mais o processo de entrega. 

Correios: "Não há atrasos generalizados"

A empresa de Correios informou que, sobre os relatos de moradores que perceberam alterações na rotina de entregas, não há situação generalizada de atraso no Estado. 

A alegação é de que dificuldades de entrega podem ocorrer por diferentes motivos, como “ numeração irregular ou ausente, endereçamento incorreto, cães soltos nas ruas, entre outros”, e as medidas a serem adotadas em cada caso são específicas, diz a empresa. 

Segundo os Correios, não há reclamações registradas em seus canais oficiais relativas a entregas nos locais citados. Os Correios enfatizam a importância de usar esses canais (veja no quadro abaixo), pois, fazendo o registro formal, “ é possível verificar e resolver possíveis dúvidas”. 

Sobre as afirmações do Sintect-RS, os Correios garantiram que “ possuem um sistema de dimensionamento de efetivo que prevê a necessidade de pessoal em cada local, além de terem metodologia de entrega para melhor aproveitamento do tempo do carteiro”. 

A CONTA NÃO CHEGOU. E AGORA? 

/// Se não receber boletos bancários e faturas por conta do atraso dos Correios, a orientação é que o consumidor entre em contato com as empresas responsáveis pelas cobranças e solicite uma segunda via online ou o número do boleto para efetuar o pagamento dentro do prazo estabelecido. 

/// Para contas de água, luz e telefone que são entregues pelos carteiros, é preciso entrar em contato com as empresas respectivas por telefone ou via site. 

/// Sempre que os moradores tiverem algum questionamento sobre os serviços dos Correios, a empresa solicita que as situações sejam registradas nos canais de atendimento ao cliente da empresa. Para esclarecer dúvidas ou registrar reclamações, a população pode acessar o Fale Conosco, no site correios.com.br, ou ligar para a Central de Atendimento aos Clientes dos Correios (CAC), pelo telefone 0800-725-0100 (de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h, e nos sábados, das 8h às 14h). 

Produção: Thayná Souza 

Leia outras notícias da seção Seu Problema é Nosso   


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros