Ajuda para um carnavalesco mirim - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Solidariedade28/05/2020 | 16h46Atualizada em 03/06/2020 | 22h54

Ajuda para um carnavalesco mirim

Kayron, de um ano e nove meses, foi diagnosticado com uma má formação congênita chamada Mielomeningocele. Por isso, desde os três meses de vida, precisa usar duas órteses

Ajuda para um carnavalesco mirim Arquivo pessoal/Arquivo pessoal
Para ajudar o Kayron, você pode contribuir com qualquer valor pela vakinha online Foto: Arquivo pessoal / Arquivo pessoal
Liliane Pereira
Liliane Pereira

Um pequeno carnavalesco está precisando de ajuda. Kayron, de um ano e nove meses, foi diagnosticado com uma má formação congênita chamada Mielomeningocele quando a mãe dele, Taís, estava ainda no quinto mês de gestação. Por isso, desde os três meses de vida — depois de ter feito tratamento com gesso para desentortar os pés —, Kayron precisa usar duas órteses, uma botinha e uma tala.

A botinha é como se fosse uma extensão do corpo, pois algumas crianças com Mielomeningocele não têm firmeza nem sensibilidade do joelho para baixo, dependendo da altura da lesão na coluna. Então, o aparelho serve para firmar e proteger os pés, além de evitar que eles voltem a entortar.

Já a órtese de tala vai da virilha até o tornozelo e serve para manter as pernas firmes quando ele fica de pé. O problema é que esses utensílios, essenciais para a vida do pequeno, já têm mais de um ano e estão pequenos nele.

Desde antes de nascer, a maior parte do tratamento do Kayron tem sido feito em São Paulo, pelo SUS, em um hospital de referência no assunto. Com seis meses de gestação, Taís passou por cirurgia intrauterina para correção da má formação do bebê ainda no ventre. Para isso, desde 2018, Gilberto e Taís, pais do menino, tem contado com doações para custear as passagens de avião e hospedagem. Para trocar as órteses, eles também precisam de ajuda.

 kayron precisa de ajuda para comprar órteses novas.<!-- NICAID(14509137) -->
Foto: Arquivo pessoal / Arquivo pessoal

Seria possível consegui-las gratuitamente em São Paulo, mas todas as consultas estão suspensas e sem previsão de retorno em razão da pandemia. E kayron não pode permanecer usando órteses pequenas.

Para ajudar o Kayron, você pode contribuir com qualquer valor pela vakinha online http://vaka.me/938067, ou por depósito em conta. Basta ligar para os telefones 51 985578965, com Taís, ou 51 984007913, com Gilberto. Até agora, foram arrecadados R$ 450. O valor total das órteses é de R$ 1.100,00.

Um pouco da história

A história de Kayron começou a tomar forma quando Taís passou a frequentar os ensaios da Imperadores do Samba, em Porto Alegre. Envolvida com a organização do Carnaval desde a juventude, assim como Gilberto, os dois passaram a defender a mesma escola em 2008 — a assistente administrativa era coordenadora da área de passistas e o arte-finalista era do departamento de marketing. Em 2014, se conheceram, começaram a namorar e casaram. Kayron nasceu em 2018.

Pessoasl envolvidas com o Carnaval na Região Metropolitana unem-se para ajudar Gabriella Moacir, que teve um AVC e precisa de ajuda financeira
Gabriella Moacir tem 19 anos e sofreu um AVCFoto: Arquivo Pessoal / Divulgação

Notas

Quem também está precisando de ajuda é a Gabriella Moacir, uma linda porta-estandarte de 19 anos que sofreu um acidente vascular cerebral e está em tratamento. Já contei a história dela aqui na coluna. A mãe dela está fazendo uma ação entre amigos para sortear cinco prêmios. Quem tiver interesse em ajudar pode entrar em contato com Ana Cristina pelo fone 51 9 8613-9959. Os prêmios são uma cesta de café da manhã personalizada, um cooler, um kit de maquiagem, uma camiseta da grife do Xande de Pilares e um perfume masculino da Natura.


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros