Jovens de Viamão fabricam e doam máscaras para UPA da cidade - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Solidariedade05/05/2020 | 20h17Atualizada em 05/05/2020 | 20h17

Jovens de Viamão fabricam e doam máscaras para UPA da cidade

Material foi confeccionado por integrantes do Programa de Oportunidades e Direitos (POD), realizado pela Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos do RS

Jovens de Viamão fabricam e doam máscaras para UPA da cidade Isadora Neumann/Agencia RBS
Colaboradores da unidade receberam a doação de 70 protetores faciais do tipo "face shield" Foto: Isadora Neumann / Agencia RBS
Liliane Pereira
Liliane Pereira

Desde a tarde desta terça-feira (5), os profissionais da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Viamão, na região metropolitana de Porto Alegre, se sentem mais seguros na luta contra o coronavírus. É que os colaboradores da UPA receberam a doação de 70 protetores faciais do tipo "face shield" (aqueles feitos de material transparente que cobre todo o rosto). 

Além de dar proteção, a doação é um gesto de cidadania não só para quem recebeu, mas para quem produziu as máscaras: elas foram confeccionadas por jovens que fazem parte do Programa de Oportunidades e Direitos (POD), realizado pela Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos do Rio Grande do Sul. 

Leia outras notícias do Diário Gaúcho

O programa contempla seis centros da juventude que estão inseridos em comunidades de Porto Alegre – Rubem Berta, Lomba do Pinheiro, Restinga e Cruzeiro –, Alvorada e Viamão.

Matheus Moura Fogazzi, 17 anos, é um dos jovens que participou da ação. Além das atividades esportivas, Fogazzi faz aulas de robótica. Para ele, colaborar foi motivo de orgulho.

— Cada máscara levou em torno de duas horas e 30 minutos para ser feita. As 70 foram feitas em cinco dias. Eu me senti bastante feliz em fazer parte da campanha, pois estou ajudando a comunidade viamonense no enfrentamento à covid-19 — relata.

Izana Machado, diretora da UPA que recebeu o material, diz que, na situação de pandemia, proteger os colaboradores tem sido um dos grandes desafios:

— Recebemos as máscaras de bom grado. Foi uma excelente doação. Inclusive, já estamos usando. Tínhamos máscaras que mandamos produzir, mas são cerca de 140 colaboradores. Não tínhamos para todos. Só temos a agradecer.

 VIAMÃO, RS, BRASIL - 05.05.2020 - Jovens doam EPIs para UPA de Viamão. (Foto: Isadora Neumann/Agencia RBS)Indexador: ISADORA NEUMANN<!-- NICAID(14492810) -->
Máscaras recebidas ajudam a suprir a falta de proteção contra o coronavírus nas equipesFoto: Isadora Neumann / Agencia RBS

Nos centros da juventude, os jovens participam de atividades voltadas para os eixos socioafirmativo, que envolve oficinas culturais, esportivas e de formação cidadã; socioprofissional, que envolve apoio à escolaridade e capacitação; e jovem multiplicador, no qual 57 jovens são selecionados para atuar como lideranças nas comunidades, recebendo uma bolsa de R$ 598.

Conforme o diretor de Políticas para a Juventude, Álvaro Lottermann, com a interrupção das atividades em função dos distanciamento social, o grupo passou a realizar ações a distância. E, em conversas pelas redes sociais, surgiu a ideia da campanha Todos pela Vida.

Leia também
Pequenos e médios comércios reabrem as portas em Porto Alegre
Como ajudar iniciativas que distribuem comida para moradores de rua e famílias carentes
Império do Sol, de São Leopoldo, promove campanha para ajudar comunidade da escola

— Nós ficamos inquietos diante do cenário que se desenhou pela pandemia. Então, começamos a discutir com as equipes e com os jovens multiplicadores algumas ações pontuais que pudessem fazer a diferença nas comunidades atendidas pelo Programa de Oportunidades e Direitos. Já tivemos distribuição de alimentos e refeições, produção de sabão, produção e distribuição de máscaras de pano para trabalhadores do transporte coletivo e servidores públicos e, agora, a produção dos protetores faciais — explica Lottermann.

Segundo o diretor, a ação marca uma fase em que o Departamento de Políticas para a Juventude do Estado passa a dar maior importância para a tecnologia e a inovação na formação dos jovens. As máscaras foram feitas com impressoras 3D.

— Por meio da parceria com a Agência Besouro, começamos a introduzir a chamada cultura maker e a preparação dos jovens para a economia 4.0. Assim, equipamentos como as impressoras 3D passaram a compor o cenário dos centros da juventude — aponta o diretor.

Em três anos, o projeto já atendeu cerca de 7 mil jovens.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros