Guedes diz que 3ª parcela do auxílio será paga neste sábado, e Bolsonaro pretende prorrogar o benefício por mais três meses - Notícias

Versão mobile

 
 

Em transmissão ao vivo25/06/2020 | 21h26Atualizada em 25/06/2020 | 21h26

Guedes diz que 3ª parcela do auxílio será paga neste sábado, e Bolsonaro pretende prorrogar o benefício por mais três meses

Valores, segundo o presidente, seriam de R$ 500, R$ 400 e R$ 300, mas a medida está em estudo

GaúchaZH
GaúchaZH

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou, nesta quinta-feira (25), que a terceira parcela do auxílio emergencial irá começar a ser paga neste sábado (27). A informação foi divulgada durante a tradicional transmissão realizada pelas redes sociais do presidente Jair Bolsonaro, nesta quinta-feira (25), que contou com a presença do ministro.

Leia outras notícias do Diário Gaúcho

Em relação as parcelas, Bolsonaro afirmou que deve haver uma prorrogação do auxílio emergencial por mais três meses. O benefício, segundo ele, será reduzido gradualmente, e deve ter parcelas de R$ 500, R$ 400 e R$ 300, mas a medida ainda está em estudo. Depois, o pagamento da assistência a trabalhadores informais seria encerrado.

O auxílio foi aprovado pelo Congresso com duração de três meses. O objetivo era trazer alívio financeiro às parcelas mais vulneráveis da população.

Com a proximidade do fim dos repasses para os primeiros beneficiados pelo programa, cresceu a pressão para que seja feita a prorrogação.

A medida tem sido discutida internamente no governo, mas Guedes vinha trabalhando por valores inferiores aos divulgados por Bolsonaro.

Leia também
Tire suas dúvidas sobre o novo saque do FGTS
Como a crise afeta os mercados da periferia da Capital
Pandemia afeta viagens por aplicativos e provoca queda de 95% em aluguel de carros para turismo e negócios no RS

O motivo da resistência é o elevado custo da medida. A prorrogação no formato apresentado pelo presidente pode gerar um impacto negativo de até R$ 100 bilhões aos cofres federais. Até o momento, o governo já liberou R$ 152 bilhões para o pagamento das três primeiras parcelas.

"Homenagem aos que se foram"

Ainda durante a live, Bolsonaro pediu ao presidente do Instituto Brasileiro do Turismo (Embratur), Gilson Machado Neto, que tocasse Ave Maria como homenagem às vítimas do coronavírus.

— Nós queremos prestar aí uma homenagem aos que se foram. Quero pedir que o Gilson toque Ave Maria pra gente — afirmou o presidente. A música foi tocada na sequência por alguns segundos.


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros