Soldado da BM reforma bicicletas abandonadas e doa para crianças e moradores do Vale do Paranhana - Notícias

Versão mobile

 
 

Boa ação17/06/2020 | 21h12Atualizada em 17/06/2020 | 21h12

Soldado da BM reforma bicicletas abandonadas e doa para crianças e moradores do Vale do Paranhana

Tarcisio Silva Piuco já conseguiu consertar 10 bikes em um mês, e outras cinco aguardam a vez em oficina parceira, em Rolante

Soldado da BM reforma bicicletas abandonadas e doa para crianças e moradores do Vale do Paranhana Tiago Boff/Agencia RBS
Equipamentos prontos para doação Foto: Tiago Boff / Agencia RBS

A paixão pelo ciclismo se uniu à missão de Tarcisio Silva Piuco na Brigada Militar: servir e proteger. Lotado no pelotão de Rolante, no Vale do Paranhana, o policial de 31 anos foi além de suas atribuições e criou um grupo de voluntários para reformar bicicletas abandonadas, encaminhando os equipamentos a um novo destino. A ação foi iniciada em 15 de maio. Em um mês, 10 bikes foram consertadas - seis entregues a crianças e duas, a idosos, que realizavam deslocamentos diários a pé nos bairros periféricos do município.

– Um senhor foi demitido da empresa e ficou somente com a renda do bico de reciclador. Ele fazia tudo a pé. Eu conversei com ele, ofereci e ele aceitou o presente - relembra o militar.

Leia outras notícias do Diário Gaúcho

Os outros dois itens serão entregues durante esta semana.

A inspiração para a iniciativa surgiu em meio a uma ocorrência policial, na residência de uma família em uma região vulnerável da cidade. Na casa, o soldado confirmou se tratarem de pessoas com baixíssimo poder aquisitivo, “vivendo somente com o básico”, como definiu.

Para acalmar o garoto, nervoso com a ocorrência, ele o convidou a pedalar na rua. A resposta o entristeceu:

– Ele disse que não podia porque não tinha uma bicicleta. Fiquei sem reação, sem resposta. Conversei com amigos e decidi começar a ação - explicou.

Desde a infância, pedalar esteve entre suas brincadeiras favoritas, e hoje virou o principal hobby do agente de segurança. O soldado crê que, ao entrar para o esporte, as crianças têm menos chances de serem recrutadas para o crime. Ao citar que “crianças de todas as cidades gostarão de ganhar uma bicicleta”, ele reforça a necessidade de ampliar o projeto no RS, através da conscientização.

– Muita gente tem uma bicicleta parada em casa, e essas pessoas podem nos procurar. Se não for da nossa região, não precisa trazer até aqui. A ideia é inspirar os outros a ajudarem, o investimento para consertar é baixo - avalia.

Leia também
Grupo de Gravataí distribui marmitas e auxilia diferentes comunidades carentes
Sem bailes e com salão vazio, Sociedade Gondoleiros busca doações para auxiliar músicos

Em Rolante, o policial angariou latas de tinta, doadas por um empresário local. Há ainda a ajuda do dono de uma oficina, parceiro na ação solidária. A demanda alta, porém, gera fila de espera.

– Enquanto reformo uma bicicleta, já tem outra criança esperando. Eles vêm ao batalhão e dizem que querem uma bicicleta da polícia. Isso é muito gratificante - finaliza.

Nos próximos dias, um passeio - com distanciamento necessário para evitar exposição indevida ao coronavírus - deve ocorrer no Vale do Paranhana, com o uso das bicicletas reformadas na iniciativa.

Quem quiser se unir à ação pode procurar o soldado nas redes sociais: 

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros