Entenda as regras para a realização de obras residenciais em Porto Alegre - Notícias

Versão mobile

 
 

Pandemia23/07/2020 | 20h19Atualizada em 23/07/2020 | 20h19

Entenda as regras para a realização de obras residenciais em Porto Alegre

Atualmente, estão liberadas apenas intervenções essenciais e que garantam a segurança dos moradores e da moradia

Entenda as regras para a realização de obras residenciais em Porto Alegre André Ávila/Agencia RBS
Anderson (de vermelho) contratou prestador de serviço para dar o acabamento ao novo apartamento Foto: André Ávila / Agencia RBS
Bruna Vargas e Erik Farina

erik.farina@zerohora.com.br

A restrição a atividades econômicas determinada pela prefeitura da Capital em decreto de 23 de junho pegou no contrapé quem estava planejando reformar a casa. Para evitar a circulação de pessoas nas ruas e aglomerações em espaços fechados, como estratégia para frear o contágio do coronavírus, as obras foram restringidas.  

Conforme o secretário extraordinário de Enfrentamento ao Coronavírus, Bruno Miragem, estão permitidas, atualmente, apenas obras essenciais e que garantam a segurança dos moradores e da moradia, como reparos hidráulicos, elétricos e conserto de telhados, por exemplo. Seguem proibidas as construções de novos imóveis, ampliações de casas e reformas meramente estéticas. 

Leia outras notícias do Diário Gaúcho

— O que nos levou a restringir as obras não foi exatamente o risco da atividade. O grande objetivo era a redução de circulação de pessoas durante o deslocamento — afirma Miragem.

As restrições trouxeram dúvidas a Anderson Lopes Pinheiro, 35 anos, que precisava finalizar o novo apartamento na zona norte da Capital para a mudança. Após debater com o síndico e conselheiros do prédio, foi entendido que a instalação de piso e gesso no imóvel era fundamental para a habitabilidade e, portanto, permitido.

— Isso foi importante porque estamos pagando aluguel onde moramos atualmente e as parcelas do apartamento novo, e agora conseguimos finalizar o apartamento para a mudança — afirma ele, que vive com a esposa e a filha de quatro anos. 

Confira algumas das principais dúvidas sobre a situação das obras na Capital:

Quais obras de construção civil e residenciais estão permitidas em Porto Alegre?
Quando o decreto permite manutenção predial, são reformas de caráter urgente que digam respeito à manutenção da estrutura do imóvel, condições de habitabilidade, instalação de equipamentos de segurança contra incêndio, telefonia e habitação. As normas valem tanto para casas quanto para condomínios e conjuntos comerciais. 

Leia também
Fila de espera por consulta com especialista aumenta em Porto Alegre após pandemia
Com maioria das lojas fechadas, ambulantes atuam livremente no centro de Porto Alegre
Feira do Livro de Porto Alegre será virtual pela primeira vez em 66 anos 

Obras no pátio, como queda de muro, estouro de cano e rompimento elétrico, podem ser realizadas?
Sim, pois são serviços importantes para a segurança do morador. Todas as reformas que sejam necessárias para manter condições de habitabilidade são permitidas. 

E obras de acabamento em residências que estejam sendo ocupadas por novos moradores, como instalação de piso e finalização de paredes e teto?
Sim, pois são consideradas fundamentais para a habitabilidade do imóvel.

E obras de ampliação na residência ou restauração?
Não estão permitidas neste momento. Obras de caráter meramente estético não podem ser feitas. Se não for algo que comprometa a estrutura do imóvel ou afete a habitabilidade do imóvel, tem de ficar parado. 

Esses tipos de reparo não podem ser feitos nem com o imóvel desocupado?
Não. O que a prefeitura quer é reduzir a circulação de pessoas nas ruas e em ambientes fechados. Tudo que não for essencial, portanto, não deve funcionar. 

Obras da construção civil, como construção de prédios e casas, pode?
Obras da construção civil em geral estão suspensas. 

E obras públicas?
Estão permitidas quando forem vinculadas a assistência social, segurança e saúde; ou seja, são autorizadas porque atendem a um interesse público.  

Nas obras que são autorizadas, há limite de trabalhadores?
Não. Mas pode ser que seja preciso um rodízio de funcionários trabalhando para que se mantenha a distância mínima. 

E quais as regras que incorporadores e trabalhadores devem seguir nos reparos autorizados? As regras são as mesmas do distanciamento social, previstas nos artigos 22 e 25 do atual decreto: uso de máscaras, manutenção do distanciamento entre operários e regras de higienização. 

As atuais regras valem até quando?
O decreto foi editado sem prazo. A cada 15 dias, a prefeitura faz revisão sobre a eficácia do que foi previsto no decreto. Quando houver nova liberação, a construção civil deverá ser uma das primeiras atividades a voltarem, já que apresenta menos risco de contágio. 

Fonte: secretário extraordinário de Enfrentamento ao Coronavírus, Bruno Miragem

Colaborou: Jhully Pinto

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros