Manoel Soares e a despedida emocionada a Tia Eloísa - Notícias

Versão mobile

 
 

Papo Reto27/03/2021 | 05h00Atualizada em 27/03/2021 | 05h00

Manoel Soares e a despedida emocionada a Tia Eloísa

Colunista escreve no Diário Gaúcho aos sábados

Manoel Soares e a despedida emocionada a Tia Eloísa Arquivo Pessoal / Divulgação/Divulgação
Tia Eloísa vai deixar saudade Foto: Arquivo Pessoal / Divulgação / Divulgação

Amigos, por inúmeras razões, entre elas a covid-19, nós estamos nos despedindo de pessoas que amamos em um momento totalmente atípico. Perder alguém já é uma dor agonizante no peito, mas não poder prestar as últimas homenagens é pior ainda. Nesta semana, chegamos à triste marca de 300 mil vidas perdidas por conta da pandemia de coronavírus. Minha família amargou a dor de ver uma de nossas matriarcas nos deixar.

A Tia Eloísa era daquelas nega véia descolada que vivia na linha fina que divide a mente aberta e os velhos costumes. Tudo nela tinha uma contradição harmônica que dava a ela um charme único. Você que está lendo deve ter projetado alguma tia amada de sua família, todos temos uma dessas. 

Leia mais
Manoel Soares indaga: "Em se tratando de pandemia, o que dói mais?"
Manoel Soares: "Quem de fato ama, não coloca em risco pessoas queridas"

Apesar de não ter partido por conta da covid, ela não pôde ter seus irmãos ao lado, aplaudindo sua vida feliz. Foi puxado convencer minha mãe e as demais irmãs a não se expor indo à cerimônia de enterro, mas elas entenderam. Peço que, por favor, não ceda às lágrimas dos mais velhos da família quando pedirem para furar o isolamento. 

Por mais que seja legítimo o desejo deles, a vida é prioridade. A você que é mais velho e acatou as orientações, nosso eterno carinho e respeito. Para minha tia querida, fica no meu coração a imagem de mulher apaixonada pelo seu amado, que também já partiu.

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros