Ratatouille da Angélica: confira como preparar um prato rápido e saudável - Notícias

Versão mobile

 
 

Receita do Leitor12/05/2021 | 17h45Atualizada em 12/05/2021 | 18h25

Ratatouille da Angélica: confira como preparar um prato rápido e saudável

A parapsicóloga clínica conta como descobriu a receita com nome estranho, que leva legumes e queijo, e dá dicas para o preparo

Ratatouille da Angélica: confira como preparar um prato rápido e saudável Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal/Arquivo Pessoal
Sobras de alimentos podem virar prato ¿chique¿ Foto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

Era dia de trabalho, chegou a hora do almoço e Angélica Boff, 46 anos, parapsicóloga clínica e hipnoterapeuta, se questionou o que iria comer no almoço. 

– Era antes da pandemia, mas eu já trabalhava bastante em casa. Assim, o almoço daquele dia, como quase todos os outros, era somente para mim. Abri a geladeira, olhei o que tinha: um resto de abobrinha, berinjela, tomates, cebolas, batatas, e outras coisinhas que nem imaginava! Joguei no Google, procurando receitas com aqueles itens. O resultado foi Ratatouille – recorda. 

LEIA MAIS
Canjica branca de doce de leite: saiba como fazer a receita do chef Cássio Cevallos
Canjiquinha: aprenda a receita de Graciela, ótima opção para o Dia das Mães
Pavê de limão e chocolate branco da Jussara: confira a receita testada no kit Quero Mais 

Ela destaca que achava que Ratatouille era nome de um ratinho de desenho animado. Era sim, mas copiado do prato “chique” francês. Angélica conta que ficou tão bom que, em outras ocasiões, fez o prato para visitas e até para os sogros, que considera pessoas com paladar exigente. E foi um sucesso! 

– A receita é bem flexível e saudável. Dá para inventar, tirar insumos ou acrescentar outros. Vai queijo. Mas é uma das raras receitas com queijo em que o ingrediente não é essencial. Costumo usar restos de queijo: um pedacinho de mussarela, um restinho de queijo ralado, outro de requeijão – explica.

Franceses

Para temperos, ela também usou da criatividade: ora manjericão, ora orégano, mas o que prefere mesmo é salpicar uma pimenta-do-reino, inclusive quando o prato já está saindo do forno. 

– Mas que palavrinha estranha é essa, Ratatouille? Na internet, encontrei que significa picado, triturado. É um prato inventado pelos camponeses franceses do século XVIII, que queriam aproveitar bem todos os vegetais maduros da colheita –  conta Angélica, que também é historiadora.

Para pessoas que têm pouco tempo para o preparo de refeições, ela recomenda: 

– Se estiver com muita pressa, faz o mesmo prato em camadas horizontais, com os legumes deitados na fôrma.

MEU SEGREDINHO

Angélica conta uma dica que ajuda na hora do preparo: 

– Dê uma leve fervura nas batatas antes de tudo, pois elas demoram mais do que os outros legumes para assar.

Era dia de trabalho, chegou a hora do almoço e Angélica Boff, 46 anos, historiadora e hipnoterapeuta, se questionou o que iria comer no almoço. _ Era antes da pandemia, mas eu já trabalhava bastante em casa. Assim, o almoço daquele dia, como quase todos os outros, era somente para mim. Abri a geladeira, olhei o que tinha: um resto de aboborinha, beringela, tomates, cebolas, batatas, e outras coisinhas que nem imaginava! Joguei no Google procurando receitas com aqueles itens. O resultado foi Ratatouille _ recorda a ideia de preparar a receita. <!-- NICAID(14779548) -->
Legumes que você tiver na geladeiraFoto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

INGREDIENTES

3 batatas médias
1 berinjela
1 abobrinha italiana
2 cebolas médias
2 tomates grandes
3 dentes de alho pequenos
Alho-poró a gosto
Pedaços de pimentões
Queijos a gosto
Pimenta-preta a gosto
Sal a gosto

MODO DE PREPARO

/// Corte os legumes em rodelas finas e os tempere. Unte uma fôrma com azeite e coloque as fatias de legumes lado a lado, intercalando-as. 

/// O queijo pode ser colocado junto ou depois, em meio aos legumes e por cima (é mais fácil e leva menos queijo). Acrescente mais um fiozinho de óleo por cima e leve ao forno por aproximadamente 40 minutos. É preciso observar se não está secando e, caso seja necessário, acrescentar um pouquinho de água. 

Era dia de trabalho, chegou a hora do almoço e Angélica Boff, 46 anos, historiadora e hipnoterapeuta, se questionou o que iria comer no almoço. _ Era antes da pandemia, mas eu já trabalhava bastante em casa. Assim, o almoço daquele dia, como quase todos os outros, era somente para mim. Abri a geladeira, olhei o que tinha: um resto de aboborinha, beringela, tomates, cebolas, batatas, e outras coisinhas que nem imaginava! Joguei no Google procurando receitas com aqueles itens. O resultado foi Ratatouille _ recorda a ideia de preparar a receita.<!-- NICAID(14779546) -->
Foto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

PARTICIPE, NOS ENVIE SUA RECEITA!
/// Quem pode participar? Todos os leitores que tiverem uma receita deliciosa para compartilhar com o DG.                       
/// O que é preciso enviar? Mande sua receita, descrita com quantidade e tipos de ingredientes e modo de preparo, além do seu nome completo, endereço e telefone, para que possamos ligar de volta para você.                        
/// Para onde e como eu envio? Você pode usar três canais de atendimento para enviar sua receita. São eles: o WhatsApp do DG, pelo telefone (51) 99759-5693, o e-mail atendimento@diariogaucho.com.br e o nosso endereço (para envio de carta): Avenida Erico Veríssimo, 400, bairro Azenha, Porto Alegre/RS. O CEP é 90160-180. 

Produção: Caroline Tidra

Confira outras receitas da seção Receita do Leitor  


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros